Brasil "Um cara calmo", diz advogado de suspeito de esfaquear Bolsonaro

"Um cara calmo", diz advogado de suspeito de esfaquear Bolsonaro

Pedro Oliveira dos Santos é advogado de Adélio Bispo de Oliveira em um processo trabalhista iniciado em 2017 e ainda em andamento

Adélio Bispo Oliveira já tinha passagem por lesão corporal

Adélio Bispo Oliveira já tinha passagem por lesão corporal

Divulgação

"Sempre que eu o atendi parecia um homem normal, calmo", afirmou o advogado de Adélio Bispo Oliveira, suspeito de esfaquear o candidato Jair Bolsonaro (PSL) durante ato de campanha em Juiz de Fora, em Minas Gerais, nesta quinta feira (06). Em entrevista ao R7, o advogado Pedro Oliveira dos Santos explicou que Adélio está movendo uma ação trabalhista contra uma construtura mineira.

De acordo com o advogado, seu cliente parecia uma pessoal normal. "Não posso descrevê-lo porque todos nossos contatos foram profissionais, mas ele parecia calmo."

Flávio Bolsonaro: tentaram dar uma 'facada no coração do meu pai'

Ainda segundo Santos, o processo ainda está em andamento. "Faz tempo que não nos falamos porque o resultado da ação ainda não saiu", explicou.

Lesão corporal

Antes do ataque a Bolsonaro, Adélio já tinha sido acusado pelo crime de lesão corporal, segundo a PM-MG (Polícia Militar de Minas Gerais). Em um boletim de ocorrência de 2013, ele é acusado de atentar contra a integridade física de outras pessoas.

“Policiais militares que se encontravam nas imediações conseguiram apreender o infrator imediatamente após a ocorrência”, contou o major Flávio Santiago.

O major também confirmou que pessoas que acompanhavam o ato político do candidato à Presidência chegaram a agredir o suspeito. “A ação rápida dos policiais garantiu a incolumidade física do infrator, impedindo que ele fosse linchado”, afirmou.