Brasil Vale pede prorrogação de prazo legal para eliminar 23 barragens localizadas em Minas Gerais

Vale pede prorrogação de prazo legal para eliminar 23 barragens localizadas em Minas Gerais

Uma lei estadual deu prazo até o próximo dia 25 para o fim de estruturas similares às de Brumadinho, que rompeu em 2019, e da Samarco, que devastou Mariana em 2015

Reuters
Em Brumadinho , morreram 270 pessoas

Em Brumadinho , morreram 270 pessoas

Adriano Machado/Reuters - 05.02.2019

A mineradora Vale faz nesta semana pedidos de prorrogação de um prazo legal previsto em Minas Gerais para a eliminação das suas 23 barragens consideradas mais perigosas naquele Estado, informou à Reuters a companhia nesta terça-feira (22).

Uma lei estadual mineira deu prazo até o próximo sábado (25) para o fim das barragens alteadas pelo método a montante, consideradas mais perigosas, por suas paredes serem construídas sobre uma base de resíduos, em vez de em material externo ou em terra firme.

O sistema foi utilizado em Brumadinho e também na barragem da Samarco que se rompeu em Mariana (MG) em 2015.

A solicitação, segundo a Vale, foi feita em razão da inviabilidade técnica para o cumprimento dos prazos "devido principalmente às ações necessárias para aumentar a segurança diante da complexidade das obras, que representam aumento de riscos para as estruturas".

Os pedidos de prorrogação dos prazos para cada estrutura estão sendo protocolados junto à Feam (Fundação Estadual de Meio Ambiente) e também formalizados na ANM (Agência Nacional de Mineração), explicou a companhia.

Últimas