CPI da Covid

Brasil Vendedor diz que Dominghetti se enganou sobre áudio com Miranda

Vendedor diz que Dominghetti se enganou sobre áudio com Miranda

Segundo representante da Davati, gravação divulgada na CPI não se tratata de tentativa de compra de vacinas por denunciante

  • Brasil | Do R7

O representante da Davati, Cristiano Carvalho

O representante da Davati, Cristiano Carvalho

Pedro França/Agência Senado - 15.07.2021

O representante da Davati no Brasil, Cristiano Carvalho, disse nesta quinta-feira (15) à CPI da Covid que o policial Luiz Paulo Dominghetti, outro participante da negociação de vacinas entre a empresa e o Ministério da Saúde, foi mal orientado ou induzido a divulgar áudio do deputado Luis Miranda (DEM-DF) em seu depoimento à comissão no dia 1º, acusando o parlamentar de tentar comprar vacinas.

Miranda e seu irmão Luis Ricardo Miranda, chefe da Divisão de Importação no Departamento de Logística do Ministério da Saúde, são denunciantes de uma suposta pressão e de irregularidades em outra negociação conduzida pelo Ministério da Saúde, a compra da vacina Covaxin.

O áudio divulgado por Dominghetti indica o deputado falando ter um "comprador". A gravação, segundo o parlamentar, é antiga e dizia respeito a uma negociação por luvas cirúrgicas e não teria nenhuma relação com o trabalho do irmão dele no Ministério da Saúde.

Na ocasião, pressionado por senadores, Dominghetti afirmou que o áudio lhe havia sido enviado por Carvalho e admitiu que poderia ter sido induzido a erro. Nesta quinta, Carvalho afirmou que não teve intenção de enganar Dominghetti e que apenas enviou o áudio para que o companheiro de negociação na Davati soubesse que Miranda defende suas posições de forma "enfática". 

"Eu acredito que ele foi ingênuo no trato com a reprodução do áudio. Acho que ele sequer escutou o áudio até o fim para formar juízo dele. Acredito que ele não fez de má-fé. Pelo pouco que eu conheço, não faz parte do caráter dele. É uma pessoa correta. Acredito que ele foi mal orientado ou induzido por alguém que não fui eu", disse.

Carvalho afirmou que quase "infartou" ao ver que Dominghetti reproduziria o áudio na CPI. "Ele fez o juízo errado. Fez pré-julgamento do deputado Luis Miranda". diz. 

Na CPI, Carvalho afirmou também que a Davati foi procurada em nome do governo.

Últimas