Brasil Verba liberada para deputado abastece empresa do próprio assessor, diz jornal

Verba liberada para deputado abastece empresa do próprio assessor, diz jornal

Recursos aprovados pelo governo federal eram usados para contratar a Bonacci Engenharia

Verba liberada para deputado abastece empresa do próprio assessor, diz jornal

Uma parte do dinheiro liberado pelo governo federal ao líder do PMDB na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), foi usada para contratar a empresa de um assessor do gabinete do próprio deputado, afirma reportagem da Folha de S. Paulo deste domingo (13).

O jornal identificou pelo menos três prefeituras do Rio Grande do Norte que contrataram a empresa Bonacci Engenharia e Comércio Ltda, do assessor Aluizio Dutra de Almeida, usando recursos liberados a Alves pelo Orçamento da União por meio das "emendas parlamentares". Na época da contratação, os prefeitos dessas cidades eram do PMDB.

Almeida trabalha com Henrique Alves na Câmara desde 1998 e é tesoureiro do PMDB regional em Natal, presidido pelo deputado.

Segundo a reportagem, em 2009, o líder do PMDB destinou R$ 200 mil das emendas para a construção da praça da Criança na cidade de Campo Grande, a 265 km de Natal. O Ministério do Turismo liberou o dinheiro e no ano seguinte, o prefeito Bibi de Nenca, do PMDB, usou o recurso para contratar a Bonacci Engenharia.

Leia mais notícias de Brasil

Exemplos parecidos ocorreram em de São Gonçalo do Amarante e Brejinho em 2008, quando foram usados os recursos liberados pelo Ministério das Cidades para contratar a Bonacci Engenharia.

Alves, 64 anos, é deputado há 42 anos e é o mais antigo em número de mandatos dentro da Câmara. Ele é o candidato favorito para assumir a presidência da Câmara na eleição de fevereiro. Tem o apoio da base do governo, da presidente Dilma Rousseff e de partidos da oposição. Outro lado

O deputado não quis dar entrevista ao jornal. Por meio da assessoria, negou irregularidade e disse que só acompanha o processo político na indicação das emendas.

A assessoria disse ainda que as explicações deveriam ser dadas pelo assessor.