Brasília 'A gente não tolera desvio de nem um centavo da educação brasileira', diz ministro

'A gente não tolera desvio de nem um centavo da educação brasileira', diz ministro

Victor Godoy falou à Record News sobre denúncia de propina no MEC durante a gestão de Milton Ribeiro

  • Brasília | do R7, em Brasília

Ministro da Educação, Victor Godoy, em entrevista à Record News

Ministro da Educação, Victor Godoy, em entrevista à Record News

Reprodução/Youtube

O ministro da Educação, Victor Godoy, reiterou nesta sexta-feira (23), em entrevista à Record News, que, se alguma irregularidade for identificada na pasta, o responsável será punido exemplarmente. Ele respondia a uma pergunta sobre nova denúncia que envolve a atuação de dois pastores no Ministério da Educação (MEC) sob a gestão de Milton Ribeiro que supostamente pediam propina a prefeitos em troca da liberação de recursos da pasta aos municípios.

"Os fatos que estão sendo denunciados estão sendo apurados. Eu, como ministro da Educação, estou contribuindo com todas as investigações. Assim que assumi, imediatamente solicitei ao presidente do FNDE [Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação] a suspensão de todos os repasses aos municípios citados. E essa recente declaração não diverge muito do que havia sido denunciado. Até o momento não se comprovou nenhum fato concreto de corrupção", disse.

O ministro se refere às novas denúncias, divulgadas por um jornal, de que o ex-ministro Milton Ribeiro teria dado aval para contratos negociados em troca de propina pelos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura. O acordo previa propina de R$ 5 milhões, e o valor seria transportado em uma caminhonete.

Godoy afirmou que, até o momento, não há nada de concreto em relação às denúncias. "A investigação está correndo. A gente tem uma postura muito séria em relação a isso. Se houver comprovação de qualquer irregularidade, quem cometeu tem que ser punido exemplarmente. A gente não tolera o desvio de nem um centavo da educação brasileira", afirmou o ministro.

Em junho, o Ministério Público Federal (MPF) disse que via indícios de que o ex-ministro Milton Ribeiro apoiava a participação indevida de pastores dentro do MEC. O ex-ministro sempre negou as acusações. O pastor Gilmar também falou sobre o caso após ser preso, frisando que é inocente e que a prisão foi ilegal.

Educação na pandemia

Em entrevista à TV Record, o ministro Victor Godoy ainda falou sobre as ações do governo no sentido de mitigar as perdas educacionais geradas pela pandemia da Covid-19. De acordo com ele, a pandemia mostrou a importância de dar aos professores ferramentas educacionais digitais, com potencial de acelerar a aprendizagem.

Godoy frisou que a chegada da tecnologia 5G às escolas amplia a conectividade e o tempo de resposta da internet. "Isso permite uma melhor experiência do aluno", afirmou. O ministro ainda falou sobre a importância da Política Nacional para Recuperação das Aprendizagens na Educação Básica, instituída por decreto em maio deste ano.

De acordo com ele, observando o cenário de outros países, o governo federal percebeu que precisava diagnosticar as perdas de aprendizagem, dar ferramentas aos professores para trabalharem o reforço escolar e valorizar o papel do professor oferecendo formação e remuneração justa.

Com a política em questão, as escolas usam uma plataforma para avaliar os conhecimentos dos alunos. Essa plataforma testa os estudantes e aponta os principais problemas de aprendizagem enfrentados por eles. Com isso, as escolas conseguem direcionar o ensino à área em que o aluno mais precisa de auxílio.

Educação superior

O ministro Victor Godoy ressaltou também a importância de investir mais em desenvolvimento científico e tecnológico no país. De acordo com ele, há "muita coisa boa" nas universidades brasileiras, mas é preciso discutir como dar um "salto no financiamento do ensino superior".

"Temos uma realidade importante para o país, que veio trazer um pouco de segurança econômica e financeira para o país, que foi o estabelecimento do teto de gastos [medida de austeridade fiscal], até porque a gente precisava arrumar a casa. Agora, precisamos olhar também a situação do futuro do país, do investimento em educação. Eu tenho discutido isso com o ministro Paulo Guedes, com o ministro Ciro [Nogueira, da Casa Civil], para pensar de fato esse salto de qualidade no investimento em pesquisa", disse.

Últimas