Brasília Antecipação da segunda dose da Pfizer começa nesta quinta no DF

Antecipação da segunda dose da Pfizer começa nesta quinta no DF

Medida vale para quem tem a D2 prevista até 3/9; AstraZeneca também pode ser antecipada para D2 prevista até 31/8

  • Brasília | Lucas Nanini, do R7, em Brasília

Portal Correio

Moradores do Distrito Federal que tomaram a primeira dose da vacina da Pfizer contra a Covid-19 e têm a segunda aplicação prevista para até de 3 setembro podem procurar os postos para imunização a partir desta quinta-feira (26). A Secretaria de Saúde anunciou que faria a antecipação da dose devido à chegada de novas doses nos últimos dias.

A pasta informou que a medida é semelhante ao que aconteceu com a D2 da vacina AstraZeneca, que também pode ser antecipada por aqueles com segunda dose prevista até 31 de agosto.

Cada unidade de vacinação no DF trabalha com tipos específicos de vacina. Para conferir a lista de postos e as marcas disponíveis de imunizante por unidade de saúde, clique neste link.

Na última segunda-feira, o DF recebeu 22.230 doses da Pfizer, sendo 14.040 para primeira dose e 8.190 para a segunda aplicação.

Antecipação nacional
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, confirmou a redução do intervalo entre a primeira e segunda dose da Pfizer e da AstraZeneca, de 12 para 8 semanas, e ainda autorizou o uso de doses diferentes no caso de falta de vacina.

"Vamos trazer para o intervalo de oito semana. Temos uma quantidade boa de Pfizer e AstraZeneca, mas, se tivermos algum problema com a AstraZeneca, pode ser 12 semanas. Só se tiver um problema, a partir da 12ª semana pode ser usada uma vacina heteróloga, no caso da Pfizer", afirmou o ministro.

Um novo lote com 1.076.400 de doses de vacinas da Pfizer chegou ao Brasil na noite de terça-feira (24). É o 53° lote entregue ao país pela farmacêutica. Somados às remessas anteriores, terão sido entregues ao Brasil 53.325.090 doses até 29 de agosto, conforme previsão da empresa.

A Fiocfruz (Fundação Oswaldo Cruz) entregou 88,4 milhões de doses ao ministério, sendo 84,4 milhões de vacinas produzidas no Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos) e 4 milhões importadas prontas do Instituto Serum, da Índia. A Fiocruz produz vacina em parceria com a farmacêutica anglo-sueca AstraZeneca.

Últimas