Rússia x Ucrânia

Brasília 'Asquerosa', diz Jair Bolsonaro sobre declaração de Mamãe Falei

'Asquerosa', diz Jair Bolsonaro sobre declaração de Mamãe Falei

Áudios do deputado estadual Arthur do Val (Podemos-SP) sobre ucranianas continuam repercutindo negativamente

  • Brasília | Emerson Fonseca Fraga, do R7, em Brasília

O deputado estadual Arthur do Val (Podemos-SP), conhecido como Mamãe Falei

O deputado estadual Arthur do Val (Podemos-SP), conhecido como Mamãe Falei

Redes Sociais/Reprodução - Arquivo

"É tão asquerosa que nem merece comentário." Essa foi a resposta do presidente Jair Bolsonaro (PL) quando perguntado por um apoiador neste domingo (6), em Brasília, sobre a declaração do deputado estadual Arthur do Val (Podemos-SP), conhecido como Mamãe Falei, acerca das mulheres ucranianas. Bolsonaro chegava ao Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República, depois de uma visita ao general Villas Bôas, ex-comandante do Exército, quando foi questionado sobre o assunto. Veja o vídeo gravado pelo cinegrafista da Record TV Alan Sérgio:

Mamãe Falei, que é do MBL (Movimento Brasil Livre), foi à Ucrânia junto com o coordenador nacional da organização, Renan Santos. Em áudio vazado nas redes sociais, ele afirma que as "ucranianas são fáceis porque são pobres", entre outras declarações consideradas machistas.

As afirmações de Mamãe Falei já foram repudiadas pelo colega de partido e pré-candidato à Presidência da República Sergio Moro, que diz que não vai dividir palanque com o deputado nem apoiá-lo. Namorada do parlamentar, a enfermeira Giulia Blagitz terminou o relacionamento com ele à distância depois das declarações.

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, pediu, via Twitter, a cassação imediata do mandato do parlamentar. Veja:

A ex-embaixatriz da Ucrânia no Brasil, Fabiana Tronenko, fez o mesmo pedido:

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) anunciou em suas redes sociais que acionará o Ministério Público contra o parlamentar. Líderes do Podemos, partido de Mamãe Falei, esperam o pedido de desfiliação do político, que chegou a ser pré-candidato ao governo de São Paulo pela legenda, mas desistiu depois que os áudios foram divulgados. O partido já abriu processo disciplinar para apurar os fatos.

No último sábado (5), a Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados divulgou nota de repúdio ao parlamentar estadual. Leia a íntegra:

A Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados, formada pela Coordenadoria dos Direitos da Mulher e pela Procuradoria da Mulher, vem a público manifestar esta NOTA DE REPÚDIO pelas declarações ofensivas e desrespeitosas às mulheres ucranianas e brasileiras, feitas pelo deputado estadual Arthur do Val (Podemos/SP), também conhecido como “Mamãe Falei”, amplamente divulgadas na sexta-feira (5 de março de 2022).

Segundo as notícias  e repercussão de áudios vazados  o deputado se referiu às mulheres ucranianas de maneira leviana, proferindo palavrões e termos chulos. Os comentários sexistas se referiam às policiais de fronteira, e ele também compara às brasileiras.

Os referidos áudios  compartilhados em aplicativos de mensagem  mostram que o deputado enviou ao menos quatro mensagens, com comentários sexistas referindo-se às policiais ucranianas. Em um deles, Arthur do Val  que informou ter ido à Ucrânia “para ajudar os refugiados e mostrar a realidade de uma guerra” , utiliza inclusive, termos escatológicos. Chegou a dizer sobre as ucranianas “que são fáceis porque são pobres” e que são capazes de “fazer de tudo”. Sequer é possível, nesta Nota, reproduzir outros termos citados, de tão ofensivos.

A Secretaria da Mulher, como tem feito em inúmeras oportunidades, não deixará de se manifestar e repudiar quaisquer manifestações que aprofundem as desigualdades, o desrespeito, o preconceito e a violência contra as mulheres.

Como órgão político e institucional que atua em benefício e defesa da população feminina brasileira, a Secretaria da Mulher reforça que todos os esforços continuarão sendo feitos em defesa dos avanços alcançados por meio de políticas públicas de proteção e empoderamento das mulheres. É preciso registrar, repudiar e insistir que manifestações de violência contra as mulheres, como estas proferidas pelo parlamentar, não serão aceitas. O combate à violência contra as mulheres continuará constante, para que se garantam seus direitos e não ocorra qualquer retrocesso nas conquistas sociais alcançadas pela efetiva equidade.

Por fim, a Secretaria da Mulher, por meio da Procuradoria da Mulher, acionará os órgãos responsáveis, inclusive a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, para que sejam tomadas as providências cabíveis.

Últimas