Brasília Bens de padre assassinado serão doados à paróquia onde ele atuava

Bens de padre assassinado serão doados à paróquia onde ele atuava

Vítima de latrocínio, Kazimierz Wonjo, mais conhecido como Padre Casemiro, dedicou 40 anos de trabalho a igreja na Asa Norte

  • Brasília | Luiz Calcagno, do R7, em Brasília

Bens do padre serão doados à Paróquia Igreja Nossa Senhora da Saúde, na 702 Norte

Bens do padre serão doados à Paróquia Igreja Nossa Senhora da Saúde, na 702 Norte

Arquidiocese de Brasília/Reprodução - 3/9/2021

Os bens do padre Kazimierz Wonjo, vítima de latrocínio (roubo com morte) em 21 de novembro de 2019, serão doados à Paróquia Igreja Nossa Senhora da Saúde, na 702 Norte. Padre Casemiro, como era conhecido entre os fiéis, tinha 71 anos quando foi assassinado após celebrar uma missa no templo. Ele atuou na paróquia por cerca de 40 anos. Além do religioso, um caseiro também foi rendido e agredido por Daniel Souza da Cruz, Antônio Wyllian Almeida Santos, Alessandro de Anchieta Silva e um adolescente, mas sobreviveu. O corpo de Casemiro foi encontrado com mãos e pés amarrados e um arame no pescoço próximo a uma obra que acontecia no local.

A doação das posses do sacerdote já tinha sido determinada em sentença em julho de 2020, mas, para cumprí-la, era necessário comprovar que o Padre Casemiro não possuía herdeiros. De acordo com o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), nesta quinta (3/9), em posse da certidão de óbito do religioso, onde consta que Casemiro “não possuía herdeiros nem testamento conhecido”, o juiz de direito Fernando Brandini Barbagalo, da 7ª Vara Criminal de Brasília, determinou o cumprimento da sentença.

O padre era Polonês, e as informações foram checadas no país de origem do religioso pela Polícia Federal. “Verifica-se que já houve trânsito em julgado sem questionamento deste ponto da sentença. Portanto, é providência adequada, sobretudo considerando a necessidade de se dispor a respeito das hipóteses mencionadas no parágrafo anterior. Ao analisar as razões fáticas e jurídicas aqui presentes verifico que a concordância de destinação desses bens à Paróquia Igreja Nossa Senhora da Saúde supre o disposto no artigo 124-A do CPP (Código Processual Penal)”, afirmou o magistrado na decisão.

Caberá ao atual responsável pela paróquia apresentar a documentação necessária e assinar o termo de restituição e doação dos bens da vítima. “Com essas considerações, determino a restituição dos bens apreendidos e demais bens que estejam em nome da vítima falecida em favor da Paróquia Nossa Senhora da Saúde. Intimem-se o padre responsável pela Paróquia da Igreja Nossa Senhora da Saúde para que, apresente os documentos regulares e, em nome da Paróquia Nossa Senhora da Saúde, assine o termo de restituição/doação dos bens da vítima”, ordenou o juiz.

No dia do crime, Daniel Souza da Cruz, Antônio Wyllian Almeida Santos e Alessandro de Anchieta Silva roubaram um cordão de ouro do religioso, garrafas de whisky, R$ 3.500 em dinheiro, além de dois notebooks e pertences da igreja. Os agressores foram condenados, respectivamente, a 3 anos, 4 meses e 10 dias, 36 anos e cinco meses e 33 anos, 3 meses e 15 dias de prisão.

Últimas