Brasília Bolsonaro assina MP que viabiliza criação de plano de saúde da PF

Bolsonaro assina MP que viabiliza criação de plano de saúde da PF

O diretor-geral da Polícia Federal, Paulo Maiurino, disse que a criação do plano de saúde era um pleito de décadas

  • Brasília | Hellen Leite, do R7, em Brasília

Presidente Jair Bolsonaro durante evento na Polícia Federal

Presidente Jair Bolsonaro durante evento na Polícia Federal

TV Brasil/Reprodução

O presidente da República, Jair Bolsonaro, editou uma MP (medida provisória) que cria um plano de saúde dos servidores da Polícia Federal por meio do Funapol (Fundo para Aparelhamento e Operacionalização das Atividades-fim da PF).

A assinatura da MP ocorreu durante a cerimônia de formatura dos novos agentes da corporação no Curso de Formação Profissional, nesta quinta-feira (16). O diretor-geral do órgão, Paulo Maiurino, disse que a criação do plano era um pleito de décadas, e foi ovacionado ao agradecer a Bolsonaro a ação. Assista ao vídeo:

“É um anseio de décadas do nosso corpo funcional que beneficiará nossos servidores, policiais e administrativos, além de seus dependentes. Já tivemos aqui presidentes da República que prometeram e que nunca cumpriram”, afirmou.

Entre risos, Bolsonaro respondeu: "Isso é normal", e foi aclamado aos gritos de "mito" por algumas pessoas na plateia. 

De acordo com a Secretaria-Geral da Presidência da República, a MP será publicada nesta sexta-feira (17) no Diário Oficial da União. “As medidas visam ampliar o escopo da destinação dos recursos do Funapol, a fim de permitir o custeio do transporte, hospedagem e alimentação de servidores em missões e operações de natureza oficial e de valores de caráter indenizatório, bem como o custeio de despesas com a saúde dos servidores da Polícia Federal."

A ação, segundo a pasta, não eleva despesas nem concede aumento remuneratório aos servidores. “A relevância e a urgência da medida decorrem da importância de evitar que os servidores da Polícia Federal estejam desabrigados quando acometidos de enfermidades e de assegurar a continuidade da prestação do serviço público.”

Uso da máscara

Paulo Maiurino foi aplaudido ao sugerir que os novos agentes da corporação tirassem a máscara durante a cerimônia. “Gostaria de permitir que aqueles que se sintam confortáveis podem tirar a máscara”, disse Maiurino. Havia poucas pessoas na plateia respeitando o distanciamento social e usando o acessório de proteção facial contra a Covid-19. Assista:

O presidente Jair Bolsonaro riu ao escutar a recomendação de Maiurino. Na segunda-feira (13), o chefe do Executivo afirmou, nas redes sociais, que a máscara era proibida no Palácio do Planalto.

Últimas