Brasília Bolsonaro atribui novos empregos à desregulamentação trabalhista

Bolsonaro atribui novos empregos à desregulamentação trabalhista

Presidente fez a correlação durante a cerimônia do Marco Regulatório Trabalhista Infralegal

  • Brasília | Maurício Ferro, do R7, em Brasília

Presidente não apresentou dados que correlacionem desregulamentação e criação de empregos

Presidente não apresentou dados que correlacionem desregulamentação e criação de empregos

Wilson Dias/Agência Brasil - 10.11.2021

O presidente Jair Bolsonaro atribuiu nesta quarta-feira (10) o aumento do número de empregos à desburocratização da legislação trabalhista em seu governo, mas não mostrou dados que provem a afirmação. “[O aumento das vagas criadas] vem da desburocratização, da desregulamentação. […] Estimula a cada vez mais empreender”, disse durante evento no Palácio do Planalto.

Dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio) Contínua, feita pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mostram que o desemprego no Brasil caiu de 14,6% para 13,2% no trimestre encerrado em agosto, comparado com o trimestre anterior.

No entanto, dados da Pnad também apontam para o aumento de trabalhadores por conta própria (autônomos) e redução da renda média do trabalhador, corroída pela inflação acumulada de 10,67% nos últimos 12 meses.

Caged

Apesar dos dados da Pnad divulgados por Bolsonaro, revisões dos números de emprego e desemprego do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) de 2021, feitas pelo Ministério do Trabalho, mostram que foram anunciadas 46 mil vagas de trabalho a mais do que o número real de empregos criados neste ano. Nesta quarta-feira, o R7 mostrou também que os postos de trabalho criados em 2020 caíram quase à metade com a atualização estatística.

Os novos dados mostram o Brasil com 46.657 vagas de trabalho com carteira assinada a menos do que o acumulado dos números divulgados mensalmente de janeiro a setembro deste ano. Com a revisão, o saldo positivo de empregos criados nesse período caiu de 2.559.594 para 2.512.937.

Estímulo à criação de empregos

“O emprego é criado pela iniciativa privada, mas o empregador tem que ter estímulo para isso. Tem que ter uma certa certeza de que vai ser vitorioso”, disse Bolsonaro.

O presidente deu as declarações durante discurso na solenidade de consolidação do Marco Regulatório Trabalhista Infralegal, no Palácio do Planalto.

O objetivo, de acordo com o governo federal, é simplificar e eliminar burocracias da legislação trabalhista. No total, eram mais de 2 mil atos normativos (decretos, portarias, notas técnicas, manuais de fiscalização, etc.) que foram consolidados em 15.

Só para tratar de equipamentos de segurança no trabalho, por exemplo, havia 39 portarias. O trabalho contou com as fases de organização, eliminação do que já estava obsoleto e modernização. A análise coube ao Ministério do Trabalho e da Previdência.

Últimas