STF

Brasília Bolsonaro critica manifestação de indígenas em frente ao Planalto

Bolsonaro critica manifestação de indígenas em frente ao Planalto

Integrantes de comunidades tradicionais atearam fogo a um caixão de madeira na Praça dos Três Poderes

  • Brasília | Renato Souza, do R7, em Brasília

Amanda Perobelli/Reuters

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) criticou o protesto realizado por povos indígenas em frente ao Palácio do Planalto, na manhã desta sexta-feira (27). Os manifestantes atearam fogo a um caixão de madeira na via que passa em frente à sede do Executivo. No momento do ato, Bolsonaro estava em um batalhão das Forças Armadas, em Goiânia, onde participa de solenidade de passagem do Comando de Operações Especiais..

Ao divulgar um vídeo da manifestação nas redes sociais, Bolsonaro disse que "esse tipo de gente que quer voltar ao poder com ajuda daqueles que censuram, prendem e atacam defensores da CF (Constituição Federal) e da liberade."


Os indígenas estão acampados na Esplanada dos Ministérios para acompanhar o julgamento do marco temporal para demarcação das terras, que é conduzido pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A análise do caso teve início essa semana e deve continuar na semana que vem.

Os magistrados vão decidir se os povos indígenas têm direito a terras ocupadas após a promulgação da Constituição de 1988. 

Protesto
A manifestação desta sexta-feira (27) começou na Esplanada dos Ministérios, com o grupo marchando e cantando hinos indígenas. Por volta das 11h, a Esplanada dos Ministérios ficou totalmente bloqueada com a caminhada. O grupo chegou à Praça dos Três Poderes e ateou fogo ao caixão de madeira.

O Corpo de Bombeiros foi acionado para apagar o fogo. De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal, os povos indígenas bloquearam parte da via N1, que fica em frente ao Palácio do Planalto. Antes das 12h, o grupo já havia dispersado e a manifestação e seguiu de volta para o acampamento.

Últimas