Brasília Bolsonaro diz que não conversou com Vladimir Putin sobre Ucrânia

Bolsonaro diz que não conversou com Vladimir Putin sobre Ucrânia

Brasil não tomou partido de ninguém durante a viagem, afirmou o presidente da República

  • Brasília | Augusto Fernandes, do R7, em Brasília

Live do presidente Jair Bolsonaro

Live do presidente Jair Bolsonaro

YouTube/Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse nesta sexta-feira (18) que durante a viagem que fez à Rússia nesta semana evitou conversar com o presidente russo, Vladimir Putin, sobre as tensões geopolíticas da nação com a Ucrânia.

"Esse assunto não foi tratado com o Putin. A missão tinha objetivo específico. Alguns levaram para um lado, de que estou apoiando A, B ou C, de que não devia fazer isso e que deveria fazer aquilo. Não fomos para tomar partido de ninguém", comentou o presidente, durante transmissão ao vivo nas suas redes sociais.

Bolsonaro, contudo, disse que pediu paz durante a passagem pela Rússia. "A gente pede a Deus que tenhamos paz na região. Até falei lá que o mundo é nossa casa, e Deus está acima de todos. Falei a mensagem da paz."

O presidente destacou que, por mais que tropas russas tenham recuado dos planos de invadir o território ucraniano no início desta semana, a situação entre os dois países ainda é motivo de preocupação.

"Lógico que é uma boa notícia. Isso ajuda a diminuir tensão naquela área. Se bem que, guerra, ninguém marca horário para ela iniciar. Ela inicia. Nenhum chefe de Estado vai confidenciar segredo de Estado para quem quer que seja. É sinal que não vai ter guerra? É sinal que diminui chance de ter guerra. Guerra não interessa para ninguém. Não pense que guerra vai ficar só ali, ela se espalha para o mundo todo, as consequências são enormes.”

"Recepção maravilhosa"

Bolsonaro elogiou a recepção que teve de Putin durante a estada na Rússia. "Conversei com ele aproximadamente duas horas. Antes, teve um rápido encontro reservado também. Me recebeu muito bem desde o aeroporto, com honras militares. Fiquei em um hotel de, no meu entender, que não são cinco, são 200 estrelas. Na conversa reservada, de 30 minutos, ficamos a uma distância de 1,5 m. Estou muito feliz e grato ao presidente russo", destacou.

Segundo ele, a agenda em território russo rendeu bons negócios ao Brasil, como a venda de uma fábrica de fertilizantes em Mato Grosso do Sul.

"Na Rússia, tratamos não só com o presidente, mas com empresários da área de negócios que interessam aos nossos países. Assinamos alguns protocolos de intenção, alguns acordos, e o Brasil vai tocando o barco. Cada vez mais vamos nos inteirando com o mundo, o mundo nos trata com muito carinho, com muita consideração."

Últimas