Eleições 2022

Brasília Bolsonaro lidera intenções de voto no Rio Grande do Sul, diz pesquisa

Bolsonaro lidera intenções de voto no Rio Grande do Sul, diz pesquisa

Na pesquisa estimulada, em que é apresentada uma lista de candidatos aos eleitores, atual presidente está à frente, com 40,1% 

  • Brasília | Augusto Fernandes, do R7, em Brasília

O presidente Jair Bolsonaro (PL)

O presidente Jair Bolsonaro (PL)

Alan Santos/PR - 20.5.2022

O presidente Jair Bolsonaro (PL) tem a preferência do eleitorado do Rio Grande do Sul para o pleito deste ano, segundo levantamento conduzido pela Paraná Pesquisas. De acordo com o instituto, na pesquisa estimulada, em que são apresentados os nomes dos candidatos aos eleitores, o chefe do Executivo lidera as intenções de voto, com 40,1%.

Em segundo lugar, aparece o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com 34,2%. Completam a lista Ciro Gomes (PDT), com 6,4%; João Doria (PSDB), com 2,1%; Simone Tebet (MDB), com 0,9%; André Janones (Avante), com 0,8%; Vera Lúcia (PSTU), com 0,6%; Pablo Marçal (Pros), com 0,5%; Luiz Felipe d’Ávila (Novo), com 0,3%; e Eymael (DC) e Luciano Bivar (União Brasil), ambos com 0,1%.

A Paraná Pesquisas fez o levantamento entre os dias 15 e 20 de maio e ouviu 1.540 eleitores gaúchos de 62 cidades, todos com mais de 16 anos de idade. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o código BR-03824/2022. O índice de confiança é de 95%. A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Bolsonaro e Lula têm empate técnico na pesquisa espontânea

Já na pesquisa espontânea, sem que os eleitores sejam informados sobre os candidatos, Bolsonaro também está à frente, mas ele empata tecnicamente com Lula. O atual presidente aparece com 24,6% dos votos, enquanto o petista tem 20,2%. Ciro Gomes ocupa a terceira posição, com 1,7%.

Nessa pesquisa, o ex-governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite (PSDB) divide o quarto lugar com Doria, seu correligionário, com 0,4% das intenções de voto. Ambos disputaram as prévias do partido para a Presidência da República no ano passado, e o ex-governador de São Paulo acabou vencendo. No entanto, o nome dele ainda não foi confirmado para a disputa ao Palácio do Planalto.

Depois deles, aparecem Pablo Marçal e Simone Tebet, ambos com 0,2%; e André Janones, Luiz Felipe d’Ávila e Vera Lúcia, todos com 0,1%.

Últimas