STF

Brasília Bolsonaro: O que seria do Executivo sem Congresso e STF?

Bolsonaro: O que seria do Executivo sem Congresso e STF?

Presidente participou de cerimônia no Planalto ao lado de Toffoli, Arthur Lira e Rodrigo Pacheco

  • Brasília | Maurício Ferro, do R7 em Brasília

O presidente Jair Bolsonaro, que participou de entrega do Prêmio Marechal Rondon de Comunicações

O presidente Jair Bolsonaro, que participou de entrega do Prêmio Marechal Rondon de Comunicações

Joedson Alves/EFE - 13.09.2021

Após semanas de atritos entre os Poderes, o presidente Jair Bolsonaro fez um aceno na tarde desta terça-feira (14) para o Legislativo e o Judiciário. Ao discursar em evento no Planalto, perguntou: "O que seria do Executivo sem o Senado, sem a Câmara e, por que não dizer?, em muitos momentos, sem o nosso Supremo Tribunal Federal?".

Bolsonaro fez a pergunta num evento no Palácio do Planalto, sede do Poder Executivo, no qual dividiu palco com o ministro Dias Toffoli, do STF, e com os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

O presidente da República, no mesmo discurso, afirmou que o "bom entendimento" entre os Poderes "é a alegria do nosso povo". Bolsonaro disse, ainda, que seu governo "conversa com todo mundo", numa ocasião em que falava sobre atritos com a imprensa.

"A nossa liberdade de imprensa, com todos os seus defeitos, tem que persistir. No que depender de nós, jamais teremos quaisquer medidas visando censurá-los. É melhor falando do que calado", afirmou.

O evento no Planalto era voltado a entregar o Prêmio Marechal Rondon de Comunicações. Houve diversos premiados do governo federal e da base aliada no Congresso. O ministro Dias Toffoli também ganhou a premiação.

O ministro Fabio Faria (Comunicações), em discurso que antecedeu o de Bolsonaro, também falou sobre regulação da mídia:

"Em vários momentos ele [Bolsonaro] conversou, recebeu, brigou, mas em nenhum um segundo esse presidente que está ao meu lado falou em regular a mídia. Quem está falando de regular a mídia não é o presidente Bolsonaro."

O presidente da Abratel (Associação Brasileira de Rádio e Televisão), Márcio Novaes, também foi um dos agraciados.

"Embora seja uma peça, um troféu, uma questão muito simbólica, o que está por trás é o reconhecimento. Isso é fundamental. É esse o sentimento que nós temos, que por parte do governo e de todos os que estão envolvidos hoje com a tecnologia, com a digitalização e a democratização da informação para todos, é um reconhecimento, sem dúvida", declarou Márcio.

Últimas