Brasília Brasil receberá mais 10 milhões de doses da Pfizer até o fim da semana

Brasil receberá mais 10 milhões de doses da Pfizer até o fim da semana

Anúncio foi feito pelo secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, que exaltou 65% da população totalmente imunizada

  • Brasília | Lucas Nanini, do R7 Brasília

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz

Marcelo Camargo/Agência Brasil

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, anunciou na noite desta segunda-feira (25) que o Brasil deve receber mais 10 milhões de doses de vacina da Pfizer contra a Covid-19  até o fim desta semana.

Em postagem no Twitter, Cruz falou da reunião que teve com a farmacêutica e sobre a cobertura de imunização no país.

“Essa noite estive em reunião com representantes da Pfizer, onde tratamos da atualização do nosso cronograma de entrega das #Vacinas. Até o fim da semana, serão mais de 10 milhões de doses”, afirmou o secretário.

Cruz também disse que a imunização contra o coronavírus em primeira dose no Brasil já atingiu 87% da população acima de 12 anos. O secretário informou que 65% dos brasileiros a partir dessa idade já completaram o ciclo vacinal.

Segundo o Ministério da Saúde, até a manhã desta segunda (25), 320.004.887 haviam sido distribuídas em todo o país. Foram aplicadas 269.129.590 doses até a data, divulgou a pasta.

Vacinação em 2022
O planejamento da vacinação contra a Covid-19 no ano que vem, elaborado pelo Ministério da Saúde, prevê um modelo diferente do adotado em 2021, quando o atendimento foi separado de acordo com graus de prioridade.

Para 2022, a pasta vai considerar a imunização por faixa etária decrescente. O ministério prevê aplicar mais duas doses na população acima de 60 anos e nas pessoas imunossuprimidas, com intervalo de seis meses, bem como disponibilizar mais uma dose de reforço para a população de 18 até 59 anos.

No início de outubro, o ministério informou que não trabalha com a possibilidade de aplicar uma dose extra em adolescentes entre 12 e 17 anos. Segundo a Saúde, ainda não há nenhuma evidência científica que demonstre essa necessidade. De todo modo, o governo considera a hipótese de ampliar o público-alvo da campanha de 2022.

"Caso a Anvisa aprove e ateste a segurança das vacinas para esse público-alvo, serão disponibilizadas vacinas para poder atender esse público", afirmou Rodrigo Cruz.

Últimas