Brasília Com críticas de apoiadores, Ramos sai em defesa de Bolsonaro

Com críticas de apoiadores, Ramos sai em defesa de Bolsonaro

Presidente tem sido cobrado depois de divulgar carta elaborada por Temer amenizando discursos feitos contra o Judiciário

  • Brasília | Sarah Teófilo, do R7, em Brasília

Ramos tem usado as redes sociais para defender o presidente Bolsonaro

Ramos tem usado as redes sociais para defender o presidente Bolsonaro

Marcos Corrêa/PR

Ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, o general Luiz Eduardo Ramos saiu em defesa do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), após carta na qual o mandatário do Executivo tenta amenizar os discursos feitos nas manifestações pró-governo no último dia 7. Bolsonaro, em anúncio feito na quinta-feira (9), falou em pacificação e acenou positivamente para o Supremo Tribunal Federal (STF). Tem sido duramente atacado nas redes sociais por apoiadores. "Tenham paciência, pois, mais uma vez, o tempo irá consolidar a verdade! #EuConfioEmBolsonaro", defendeu Ramos no Twitter.

Depois de dizer em discurso a apoiadores que não iria mais cumprir ordens do ministro do STF Alexandre de Moraes, Bolsonaro divulgou uma "declaração à nação", na qual afirmou que nunca teve "nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes" e que as declarações foram feitas no "calor do momento".

A carta foi escrita pelo ex-presidente Michel Temer, que foi quem indicou Moraes para o cargo no STF quando era presidente. Temer entrou em campo para tentar ajudar Bolsonaro com a crise criada por ele mesmo. Agora, apoiadores estão criticando Bolsonaro, pois esparavam que ele mantivesse o tom elevado. Com isso, ministros e políticos do entorno do presidente estão com a missão de acalmar os apoiadores. O senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), filho do presidente, por exemplo, tem reproduzido mensagens como: "Confio no PR (presidente)".

Ramos também entrou na linha de defesa. Nas redes sociais, escreveu que o presidente "sempre disse que jogaria nas 4 linhas da Constituição". "Mesmo assim, seus opositores o chamavam de antidemocrático. É a velha tática esquerdista: Acuse-os do que você é! Hoje, me surpreendo ao ver muitos caírem no novo discurso opositor de ofensa ao PR", pontuou.

O ministro continuou: "Ora, reflitam. O PR é um estadista e patriota. Defende a Bandeira do Brasil acima de tudo. Pelo País está disposto a sacrificar a própria vida, que quase foi perdida, há 3 anos, por defender a pátria e a família. Sua bravura foi posta a prova e ele jamais desistiu, apesar dos ataques covardes. No passado, vimos muitos virarem as costas para @jairbolsonaro em defesa de supostos "heróis". O tempo trouxe a verdade!".

Últimas