Brasília Covid: Brasil tem menor média móvel de óbitos em 11 meses

Covid: Brasil tem menor média móvel de óbitos em 11 meses

Balanço do Conselho Nacional Secretários de Saúde registrou 367 mortes na média de 7 dias

  • Brasília | Bruna Lima, do R7, em Brasília

Segundo especialista, o avanço da vacinação explica a desaceleração da média de óbitos

Segundo especialista, o avanço da vacinação explica a desaceleração da média de óbitos

Tony Winston/Divulgação Ministério da Saúde

O Brasil registrou nesta terça-feira (12) mais 185 mortes por Covid-19 e soma, desde o início da pandemia, 601.398 óbitos decorrentes da doença. Neste feriado prolongado o país chegou a menor média móvel de mortes desde novembro de 2020. De acordo com o levantamento do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), foram 367 óbitos na média móvel dos últimos sete dias. 

A última vez em que o Brasil registrou uma média acumulada tão baixa foi em 13 de novembro de 2020, com 389 mortes. As atualizações otimistas, no entanto, podem ter apresentado números reduzidos em razão dos atrasos na inserção de dados durante o fim de semana prolongado pelo feriado de Dia das Crianças. 

Nesta terça, o balanço do Ministério da Saúde também contabilizou mais 6.918 novas infecções de Covid, totalizando 21.582.738 infecções desde o início da pandemia. A média móvel está em 13.003 e é a menor desde 19 maio de 2020, quando o país contabilizava, no acumulado, 13.434 casos. 

Segundo a diretora da SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações), Mônica Levi, o avanço da vacinação é o que explica a desaceleração do número de mortes e casos por Covid-19 nos últimos meses. "Estamos com números decrescentes graças à vacinação de cerca de 2 milhões de pessoas por dia e à adesão da população à campanha."  

De acordo com dados do Ministério da Saúde, mais de 93% do público-alvo já foi vacinado com a primeira dose e 61% foi completamente vacinado. Mais de 2,1 milhões de doses de reforço também foram aplicadas em idosos, imunossuprimidos e profissionais de saúde. Ao anunciar o planejamento da vacinação contra a Covid para 2022, o ministro Marcelo Queiroga ressaltou a importância da campanha. "Vacinar a população contra a Covid-19, além de salvar vidas, é muito custo-efetivo para o nosso sistema de saúde," afirmou.

Com o avanço da vacinação, a taxa de transmissão (Rt) do Sars-CoV2 no Brasil é a menor registrada desde que começou a ser aferida pelo levantamento do Imperial College de Londres, em abril de 2020. O índice de 0,60, anunciado nesta terça (12) indica que cem pessoas contaminadas transmitem a doença para outras sessenta. O índice reverte a tendência de alta apresentada há duas semanas, quando chegou a 1,04.

Últimas