CPI da Covid

Brasília CPI convoca novamente motoboy e advogada de Bolsonaro

CPI convoca novamente motoboy e advogada de Bolsonaro

Suposto funcionário da VTCLog deveria ter prestado depoimento nesta terça, mas STF permitiu que ele não comparecesse

  • Brasília | Isabella Macedo, do R7, em Brasília

Imagens de Ivanildo Gonçalves da Silva em agência bancária na hora em que boletos de Roberto Ferreira Dias foram pagos foram exibidas na comissão nesta terça (31)

Imagens de Ivanildo Gonçalves da Silva em agência bancária na hora em que boletos de Roberto Ferreira Dias foram pagos foram exibidas na comissão nesta terça (31)

Foto: Pedro França/Agência Senado

Em reunião tumultuada nesta terça-feira (31), a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 aprovou os requerimentos de convocação da advogada do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Karina Kufa, e a reconvocação de Ivanildo Gonçalves da Silva, motoboy apontado como funcionário da empresa VTCLog.

O motoboy, que segundo relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) fez saques em espécie de quantias milionárias da conta da VTCLog, deveria ter prestado depoimento nesta terça-feira (31), mas uma decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Kassio Nunes Marques desobrigou o comparecimento dele no Senado.

Durante esta manhã, os senadores também apontaram que Ivanildo teria pago contas do ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde Roberto Ferreira Dias. O valor seria da empresa Voetur, do mesmo grupo da VTCLog. Os senadores Renan Calheiros (MDB-AL) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), respectivamente relator e vice-presidente da CPI, mostraram imagens de Ivanildo em uma agência do banco Bradesco no momento em que alguns boletos do ex-diretor foram pagos.

A decisão de Nunes Marques permitindo que o motoboy não fosse à CPI foi divulgada por volta das 21h desta segunda, o que fez com que os senadores mudassem às pressas de plano, convocando a CEO da empresa, Andréia Lima, para prestar depoimento. Em nota divulgada pela manhã, contudo, a empresária afirmou que não poderia comparecer por estar em São Paulo. Os senadores acabaram fazendo uma reunião administrativa para aprovar os requerimentos de reconvocação de Ivanildo, a convocação de Karina Kufa e a quebra de sigilos da VTCLog.

A advogada Karina Kufa entrou na mira da CPI após mensagens extraídas do celular do lobista Marconny Albernaz revelarem que José Ricardo Santana, ex-secretário-executivo da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) participou de um jantar na casa de Karina, onde foi apresentado a Albernaz.

Os senadores apontam que Santana e Albernaz teriam atuado como lobistas da Precisa Medicamentos junto ao Ministério da Saúde. Durante o depoimento de Santana, na semana passada, os senadores perguntaram ao ex-secretário da Anvisa se ele tinha conhecido Marconny em um jantar na casa de Karina em 23 de maio. O depoente alegou não se lembrar, mas confirmou que conhece Karina e tem alguns encontros sociais esporádicos com ela.

Karina divulgou nessa segunda uma nota em que afirma que a CPI faz “malabarismos verbais” e que vincula seu nome “de forma irresponsável às supostas irregularidades na compra de vacinas pelo Ministério da Saúde". A advogada afirma na nota que não é crime receber pessoas em sua casa.

“Fazer churrasco não é crime; conhecer pessoas não é crime; o anfitrião não está obrigatoriamente vinculado aos atos, anteriores ou posteriores, dos convidados”, diz Karina.

Quebra de sigilo

Os senadores também aprovaram um requerimento para quebrar os sigilos fiscal, telemático e bancário da VTCLog. A empresa está sob investigação na CPI por ter sido contratada pelo Ministério da Saúde para receber, armazenar e distribuir vacinas contra a Covid-19. Registros telefônicos de Roberto Ferreira Dias e de Andréia Lima indicam que os dois conversaram mais de 100 vezes.

A VTCLog firmou diversos contratos com o governo federal, a maior parte deles com o Ministério da Saúde. Os senadores suspeitam de irregularidades em relação às contratações com a Saúde, em especial de um contrato firmado quando Roberto Dias estava à frente da Diretoria de Logística.

Um relatório do Coaf obtido pelo R7 mostra que a empresa fez retiradas que sinalizam a realização de "saques em espécie de valores que aparentam artifício de burla para identificação do destino dos recursos”. O senador Humberto Costa (PT-PE) já havia afirmado que, até o momento, a CPI ainda não investigou a VTCLog com profundidade na prática. Segundo ele, informações novas surgem a todo instante na comissão, o que poderia justificar mais semanas de trabalho.

Últimas