Brasília De volta ao Brasil, Bolsonaro lamenta 'catástrofe' em Petrópolis

De volta ao Brasil, Bolsonaro lamenta 'catástrofe' em Petrópolis

Chefe do Executivo deve fazer um sobrevoo na região afetada ainda nesta sexta-feira (18); mortes chegam a 120

  • Brasília | Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

Jair Bolsonaro em encontro com autoridades em Petrópolis

Jair Bolsonaro em encontro com autoridades em Petrópolis

Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro (PL) desembarcou, nesta sexta-feira (18), no Brasil após viajar para a Rússia e a Hungria. O chefe do Executivo está, na manhã desta sexta, em Petrópolis (RJ), cidade afetada por fortes chuvas, que já deixaram ao menos 120 mortos.

Bolsonaro fez uma live nas redes sociais com os ministros João Roma (Cidadania), Braga Netto (Defesa) e Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), além de Pedro Guimarães (Caixa Econômica) e Cláudio Castro (governador do Rio). O mandatário deve fazer um sobrevoo pela região afetada.

O presidente lamentou as mortes e se solidarizou com os familiares das vítimas. Disse também que o governo federal presta contas "do que já foi feito e do que poderão fazer". Bolsonaro afirmou ainda que, da Rússia, acionou os ministros Rogério Marinho e Paulo Guedes (Economia).

“Estamos aguardando a possibilidade de nos deslocarmos de helicóptero para Petrópolis para então termos mais profundidade do que aconteceu nessa catástrofe, que realmente é grande. A gente lamenta o número de mortes, e que Deus conforte todos os familiares”, declarou.

"Lá era de madrugada, na Rússia, liguei imediatamente para o ministro Rogério Marinho, que já havia determinado o deslocamento do secretário da Defesa Civil para a região e informou sobre a necessidade de recurso extra. Depois, entrei em contato com o ministro Paulo Guedes para agilizar a liberação do recurso", acrescentou.

O ministério do Desenvolvimento Regional informou que já foram liberados R$ 2 milhões e que aguarda uma medida provisória, a ser publicada na próxima semana, de cerca de R$ 500 milhões.

Últimas