Brasília DF: Idosos com 85 anos recebem dose de reforço a partir de quarta

DF: Idosos com 85 anos recebem dose de reforço a partir de quarta

Serão vacinados aqueles com 85 anos ou mais, com aplicação da segunda dose ou dose única há, pelo menos, seis meses

  • Brasília | Alan Rios, do R7, em Brasília

Secretário de Saúde do DF, general Manoel Luiz Narvaz Pafiadache

Secretário de Saúde do DF, general Manoel Luiz Narvaz Pafiadache

Breno Esaki/Agência Saúde DF

Os idosos do Distrito Federal com 85 anos ou mais podem receber a dose de reforço da vacina contra a covid-19 a partir da próxima quarta-feira (22). A terceira dose será aplicada para todos os moradores dessa faixa etária que tenham recebido a segunda dose ou a dose única há, pelo menos, seis meses.

O anúncio foi feito nesta segunda-feira (20), em coletiva de imprensa da Secretaria de Saúde do DF, que também adiantou o cronograma para idosos em instituições de longa permanência, os chamados asilos. Para esse público, a imunização começa amanhã. 

"Primeiro, será possível dar início à vacinação de dose de reforço de idosos em instituições de longa permanência. Iniciaremos com esses idosos em asilos, nesta terça-feira, mas há complexidade, porque isso se faz com busca ativa. Devemos ter aproximadamente 1.090 idosos nesses locais e esperamos concluir entre uma a duas semanas", detalhou Divino Valero, secretário de Vigilância Epidemiológica.

Outro público beneficiado nesta semana é aquele de imunossuprimidos graves. Essa parcela da população do DF, estimada em 24 mil pessoas, poderá agendar a dose de reforço a partir de quarta-feira, às 14h, desde que tenham tomado a segunda dose, ou a dose única, há mais de 28 dias. A imuninzação do grupo começa na próxima segunda-feira (27).

Vacinação de adolescentes

A pasta voltou a ressaltar que se baseia em recomendações técnicas para dar continuidade à vacinação de crianças e adolescentes, de 12 a 17 anos, com o imunizante da Pfizer. “É uma decisão baseada na Câmara Técnica do Ministério da Saúde, dos conselhos federais de Pediatria, Sociedade Brasileira de Doenças Infecciosas e, principalmente, nos órgãos do Ministério, como a Anvisa”, afirmou Divino.

Ele lembrou que a secretaria tem como responsabilidade acatar “as recomendações técnicas e científicas”. O secretário de Saúde, general Manoel Luiz Pafiadache, pontuou que, apesar de estar bem alinhado com o Ministério da Saúde, que passou a não recomendar a aplicação da vacina em adolescentes, o DF decidiu seguir orientações como a da Anvisa.

"E, com toda manifestação da Câmara Técnica de Assessoramento, nosso procedimento teve confirmada a assertiva", avaliou o general. Também nesta terça-feira (21), se inicia a imunização de jovens de 13 anos ou mais. Como ressaltou Fernando Erik Damasceno, coordenador de atenção primária à Saúde do DF, o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) levanta que não há obrigatoriedade de que esses jovens estejam acompanhados dos pais para receber a vacina ou ter acesso a um serviço de saúde.

A pasta ainda destacou que o Distrito Federal não registra nenhum caso de reação pós-vacinação, ou sequer suspeito, nos mais de 90 mil adolescentes vacinados e no total de 3 milhões de moradores imunizados.

Adiantamento

O governador Ibaneis Rocha (MDB) também anunciou a antecipação, a partir de quinta-feira (27), da segunda dose da Pfizer para quem estava com a segunda imunização com data marcada até o dia 27 de outubro. "Concluir o ciclo vacinal é de extrema importância. Quero ver todo mundo com os braços a postos e nos postos", publicou Ibaneis, no Twitter. O GDF estima que o adiantamento beneficie 240 mil pessoas. 

Em meio ao avanço da proteção contra a covid-19, o DF também observa o aumento de casos da variante Delta. A mutação é responsável, hoje, por 387 casos confirmados de infecção e sete óbitos na capital, sendo um deles de morador de Goiás, que estava em tratamento no Distrito Federal. 

Últimas