Brasília Distritais pedem reforço da segurança na Esplanada

Distritais pedem reforço da segurança na Esplanada

Em ofício à Secretaria de Segurança Pública, os parlamentares destacaram ataques de manifestantes à imprensa 

  • Brasília | Luiz Calcagno, do R7, em Brasília

Manifestantes permanecem na esplanada nesta quarta

Manifestantes permanecem na esplanada nesta quarta

Emerson Fraga/R7 - 8/9/2021

Deputados distritais pediram à Secretaria de Segurança Pública do DF reforço no policiamento na Esplanada dos Ministérios. O pedido ocorre depois que manifestantes atacaram jornalistas e tentaram invadir o Ministério da Saúde na manhã desta quarta-feira (8/9). Uma equipe da Record que estava no local chegou a ser encurralada por agressores.

O ofício encaminhado à SSP pede “reforço do policiamento na Esplanada dos Ministérios com o objetivo de garantir o funcionamento de instituições públicas, a integridade física de servidores públicos, de usuários de serviços públicos e de jornalistas no local”. O documento cita, também, agressões a jornalistas de outra emissora de TV e até de uma pessoa que buscava os serviços do Ministério da Saúde e foi interpelada pelos manifestantes.

“Segundo o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal (SJPDF), houve notificação de pelo menos dez episódios envolvendo jornalistas, repórteres-fotográficos e repórteres-cinematográficos. Alguns deles tiveram que sair sob escolta do ato que cobriam profissionalmente. Outros, ao recorrerem às forças de segurança, ainda passaram por revista policial e constrangimento”, alertou o documento, que é assinado pelo deputado Fábio Félix (PSol).

No caso da pessoa que procurava o Ministério da Saúde, o R7 apurou que ele foi abordado por um manifestante e teria expressado descontentamento com a gestão do presidente da República. O homem foi atacado com tapas e pontapés. Ele correu para a frente do prédio, que já estava fechado por conta dos manifestantes. A ouvidora-chefe da pasta estava no local e pediu que a segurança abrisse a porta e puxou a vítima para dentro do prédio. “O senhor estava transtornado. A Polícia Militar só chegou 10 minutos depois. Ele veio para o Ministério da Saúde, mas a portaria estava fechada pra não acontecer uma invasão”, relatou um servidor.

Os presentes na Esplanada também ameaçam o Supremo Tribunal Federal e o Congresso. Uma barreira de policiais foi destacada para impedir que eles passem do Itamaraty em direção aos respectivos edifícios públicos.

Últimas