Brasília Dois novos satélites da FAB são lançados nos Estados Unidos

Dois novos satélites da FAB são lançados nos Estados Unidos

Carcará I e II foram postos em órbita por meio do foguete Falcon 9, da SpaceX; ação da FAB ocorreu dentro do esperado 

  • Brasília | Vanessa Marques, do R7, em Brasília

Foguete sendo lançado com os satélites

Foguete sendo lançado com os satélites

YouTube/Reprodução

Os primeiros satélites do Projeto Lessonia foram lançados na tarde desta quarta-feira (25), no Centro Espacial Kennedy, no Cabo Canaveral, nos Estados Unidos. Os satélites Carcará I e II foram postos em órbita por meio do foguete Falcon 9, da SpaceX. A Força Aérea Brasileira (FAB) realizou a ação, e o Centro de Operações Espaciais (Cope), em Brasília (DF), acompanhou o lançamento dos dois satélites.

Os satélites têm dimensões de 1 m³ e pesam 100 kg cada um. São cinco painéis solares com 3.000 W de potência.

O Projeto Lessonia consiste na aquisição de satélites de baixa órbita, que visam atender às necessidades operacionais das Forças Armadas, do Centro Gestor Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia e de agências governamentais.

Imagens do foguete com os satélites brasileiros

Imagens do foguete com os satélites brasileiros

Youtube/Reprodução

As imagens geradas pelo sistema do projeto são de altíssima resolução, podem ser obtidas a qualquer hora do dia ou da noite e independem das condições meteorológicas. Segundo a FAB, é possível monitorar as áreas de interesse do Brasil.

As imagens captadas serão utilizadas em apoio ao combate ao tráfico de drogas e à mineração ilegal, na atualização de produtos cartográficos, na determinação da navegabilidade dos rios, na visualização de queimadas, no monitoramento de desastres naturais, na vigilância da Zona Econômica Exclusiva e no apoio às operações de vigilância e controle das fronteiras.

"Buscando cumprir plenamente o programa estratégico de sistemas espaciais, no futuro, também está prevista a implantação de um conjunto de satélites, de fabricação nacional, para obtenção de imagens óticas. Ele complementará a capacidade do Ministério da Defesa de imagear o território nacional, atendendo, assim, a todas as demandas", diz a força.

Últimas