STF

Brasília Em ato conjunto, Pacheco e Fux criam comissão de juristas

Em ato conjunto, Pacheco e Fux criam comissão de juristas

Grupo terá 180 dias para a elaboração de projetos que modernizem o processo administrativo e tributário no país

  • Brasília | Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

Luiz Fux (STF) e Rodrigo Pacheco (Senado)

Luiz Fux (STF) e Rodrigo Pacheco (Senado)

Pedro Gontijo / Senado Federal / 17.11.2021

Os presidentes do Senado Federal e do STF (Supremo Tribunal Federal), senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG) e ministro Luiz Fux, respectivamente, assinaram ato conjunto de criação de uma comissão de juristas para a elaboração de projetos que modernizem os processos administrativo e tributário no país.

A proposta foi assinada nesta quarta-feira (23). "A intenção, no final das contas, é o estabelecimento de regras modernas para desafogar o Poder Judiciário, para reduzirmos a quantidade de demandas judiciais, a partir de regras que sejam claras, que possam unificar entendimentos e inibir a judicialização", explicou Pacheco.

De acordo com o presidente do Senado, a comissão poderá formular projetos de lei, projetos de lei complementar e, eventualmente, propostas de emenda à Constituição. O prazo para conclusão dos trabalhos será de 180 dias e nenhum membro será remunerado.

O presidente do STF defendeu que o maior objetivo da comissão de juristas será a "simplificação e efetivação dessa cláusula pétrea de duração razoável dos processos."

"Por outro lado, temos o fenômeno de uma litigiosidade desenfreada no âmbito administrativo e tributário, e o nosso escopo é o aperfeiçoamento dessa legislação, do modo de proceder os procedimentos e o próprio processo, levando em consideração todos os princípios constitucionais do devido processo legal e de todas as garantias processuais", disse Fux.

Comissão

Entre as atribuições da comissão de juristas, estão a busca pelas seguintes diretrizes:

– garantia dos princípios do devido processo legal, da razoável duração do processo, da eficiência, da segurança jurídica, proteção da confiança e do impulso oficial;
I – parâmetros para a autocomposição extrajudicial com vistas à redução de litígios;
II – parâmetros para a consolidação de teses a serem observadas pela Administração Pública;
III – parâmetros para submissão ao Poder Judiciário das teses fixadas na seara do contencioso administrativo e tributário;
IV – definições processuais e procedimentais que simplifiquem o contencioso administrativo e judicial tributário  e favoreçam sua sistematização, padronização de ritos e unificação de entendimentos;
V – definições processuais e procedimentais que, na medida do possível, sejam aplicáveis ao contencioso administrativo em matéria de Direito Administrativo Direito Tributário.

Composição

Conheça os 17 membros da comissão de juristas:

- Regina Helena Costa, ministra do Superior Tribunal de Justiça, que a presidirá;
- Valter Shuenquener de Araújo, que atuará como relator para o tema processo administrativo;
- Marcus Lívio Gomes, que atuará como relator para o tema de processo tributário;
- Bruno Dantas Nascimento, ministro do Tribunal de Contas da União;
- Júlio Cesar Vieira Gomes;
- Gustavo Binenbojm;
- Andre Jacques Luciano Uchôa Costa;
- Adriana Gomes Rego;
- Valter de Souza Lobato;
- Alexandre Aroeira Salles;
- Aristoteles de Queiroz Camara;
- Patricia Ferreira Baptista;
- Flávio Amaral Garcia;
- Caio César Farias Leôncio;
- Maurício Zockun;
- Leonel Pereira Pittzer;
- Ricardo Soriano de Alencar;

Últimas