Brasília Esplanada dos Ministérios volta a ser interditada neste domingo (12)

Esplanada dos Ministérios volta a ser interditada neste domingo (12)

Duas manifestações, uma em apoio e outra contrária a Bolsonaro, estão previstas para a data. Interrupção no trânsito começa às 6h

  • Brasília | Jéssica Moura, do R7, em Brasília

Dois dias depois de ter o fluxo para veículos liberado, o tráfego na Esplanada dos Ministérios será interrompido novamente neste domingo (12). Isso porque há previsão de novas manifestações no local. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, dois grupos se cadastraram junto ao órgão para promover os atos: um deles, de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e outro contrário.

A interdição será nos dois sentidos da via, ou seja, na N1 e S1, entre a Catedral Metropolitana e a Avenida José Sarney, na altura do Palácio do Itamaraty. Esse espaço estará livre apenas para os manifestantes. Mais uma vez, o acesso à Praça dos Três Poderes estará bloqueado para veículos.

Manifestantes continuam na Esplanada dos Ministérios na noite de segunda-feira (8)

Manifestantes continuam na Esplanada dos Ministérios na noite de segunda-feira (8)

Emerson Fraga/R7

O trânsito na Esplanada foi liberado nessa sexta (9), após ficar cinco dias suspenso por conta da presença de manifestantes que participaram dos atos de 7 de setembro. Na segunda-feira passada, caminhões e ônibus de bolsonaristas furaram o bloqueio da Polícia Militar e invadiram o local, onde permaneceram.

Parte da mobilização já foi esvaziada após negociação com as forças de segurança, e os veículos voltaram a circular na via, já que os manifestantes se concentraram no gramado central da Esplanada. Neste domingo, o ato dos apoiadores está marcado para às 9h, e a dispersão deve ocorrer até às 14h.

Em seguida, será a vez dos críticos ao presidente, liderados pelo Movimento Brasil Livre (MBL), que deve ocupar o local a partir das 15h. A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) acompanhará as mobilizações e só vai liberar o fluxo depois da saída de todos os manifestantes.

Últimas