Brasília Itamaraty recomenda que brasileiros no leste e oeste deixem a Ucrânia

Itamaraty recomenda que brasileiros no leste e oeste deixem a Ucrânia

Situação e recomendações variam segundo local de residência dos brasileiros na Ucrânia; brasileiros em Kiev devem ficar em casa

  • Brasília | Alan Rios, do R7, em Brasília

Palácio do Itamaraty, em Brasília (DF)

Palácio do Itamaraty, em Brasília (DF)

Flipar - Arquivo

O Ministério das Relações Exteriores recomendou, nesta quinta-feira (24), que brasileiros que estão em regiões do leste e oeste da Ucrânia deixem o país devido aos conflitos com a Rússia.

As recomendações variam de acordo com a localidade dos brasileiros no país, pois a situação é distinta de acordo com o local, segundo o secretário de Comunicação e Cultura do Ministério das Relações Exteriores, embaixador Leonardo Gorgulho.

"Para os brasileiros que estão no leste do país, a recomendação é que deixem a Ucrânia ou deixem a região e se desloquem a Kiev. Para quem está muito próximo de fronteiras internacionais ao oeste do país, nossa recomendação é que também deixem o país por meios próprios."

O embaixador afirmou que não há condições de qualquer operação de resgate neste momento, apenas planejamentos de evacuação, com logística apoiada na Embaixada do Brasil na Ucrânia. Ou seja, diferente do resgate, que envolveria sair do Brasil e ir até o país em conflito, a evacuação seria possível com organização de saída de quem já está no local.

Há um cadastro de brasileiros na Ucrânia para organizar os trâmites e detalhar a situação atual desses cidadãos. Ao todo, o Itamaraty computa 160 cadastros, sendo que cerca de 100 pessoas já estão em Kiev, onde há recomendação de permanecer em casa.

O perfil de brasileiros na Ucrânia é composto por perfis diversos, como estudantes, profissionais autônomos, especialistas em tecnologia da informação, atletas e religiosos. A grande maioria são adultos.

Últimas