STF

Brasília Lewandowski abre inquérito para investigar postagem de Bia Kicis

Lewandowski abre inquérito para investigar postagem de Bia Kicis

Parlamentar publicou nas redes sociais prática conhecida como "blackface", que remonta a atos discriminatórios do século 19

  • Brasília | Renato Souza, do R7, em Brasília

Deputada federal Bia Kicis (PSL-DF)

Deputada federal Bia Kicis (PSL-DF)

Pablo Valadares/Câmara dos Deputados - 10.03.2021

O ministro Ricardo Lewandowski, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou abertura de inquérito contra a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF). Ela é acusada de fazer postagem de teor racista nas redes sociais. De acordo com a decisão do magistrado, as diligências devem ser realizadas dentro de 60 dias.

Para criticar um programa de trainee voltado para candidatos negros de uma rede varejista, a deputada publicou uma montagem em que os ex-ministros Sergio Moro e Luís Henrique Mandetta aparecem com os rostos pintados de preto. A prática é conhecida como blackface, e é atrelada ao racismo. No século 19, no teatro, se pintavam atores brancos com tinta de cor preta, pois não era permitido que afro-descendentes atuassem.

Ao compartilhar a imagem, Kicis publicou ainda o texto fazendo referência ao programa da loja de variedades. "Cuidado, se você consegue enxergar racismo nesse post, ao invés de vê-lo na atitude da Magazine Luíza, o estrago do ensino aos moldes de Paulo Freire pode ter sido muito grande na sua capacidade de interpretar textos e de compreender a vida", escreveu ela.

Para Lewandowski, as informações iniciais apontam para a prática de discriminação de cor e raça. Ele atendeu um pedido feito pela Procuradoria-Geral da República ao autorizar o início das diligências. "Com efeito, à primeira vista, os fatos narrados na manifestação do Parquet podem constituir ilícitos penais, devendo-se salientar que, embora de forma ainda embrionária, os autos possuem elementos indiciários aptos a embasar o início das investigações", escreveu o magistrado.

Últimas