STF

Brasília Mendonça respeitará Constituição e lutará por liberdade, diz Bolsonaro

Mendonça respeitará Constituição e lutará por liberdade, diz Bolsonaro

Presidente disse que o ministro, empossado nesta quinta, levará renovação ao Supremo Tribunal Federal 

  • Brasília | Augusto Fernandes, do R7, em Brasília

O presidente Jair Bolsonaro e o novo ministro do STF André Mendonça

O presidente Jair Bolsonaro e o novo ministro do STF André Mendonça

Carolina Antunes/PR - 29.04.2020

O presidente Jair Bolsonaro (PL) parabenizou André Mendonça por ter tomado posse nesta quinta-feira como ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) e garantiu que ele vai respeitar a Constituição e "lutará por liberdade" enquanto estiver na Corte.

"Com o André no STF, teremos uma renovação. Ele será mais uma pessoa ao lado da nossa Constituição, respeitando a Carta Magna, respeitando a democracia e, cada vez mais, lutando pelo bem maior de todos nós, que é a nossa liberdade”, disse o presidente, durante um culto de ação de graças em razão da posse de Mendonça, em uma igreja evangélica em Brasília, na noite desta quinta-feira (16).

O presidente comentou que Mendonça pode não melhorar o STF, mas vai renovar a Corte. “O Judiciário é um poder importante para nós e tem que ser respeitado. Tudo se renova nessa vida. A renovação agora veio com o André”, destacou Bolsonaro, acrescentando que se sente feliz com a escolha por Mendonça.

“Você pode ver muitas virtudes numa pessoa. A que eu mais ressaltava [em Mendonça] era sua humildade. Uma pessoa com bagagem cultural enorme, mas conversava comigo, com uma formação bem diferente da dele, sempre me orientando, apesar de ser quase 20 anos mais novo. Isso vai cativando a gente”, frisou.

“Eu sinto uma coisa que, por vezes, escapa nas mãos de alguns: a gratidão. Tenho gratidão ao André pelo apoio que deu para mim como advogado-geral da União e ministro da Justiça. Foi bom passar por lá, porque eu o conheci”, completou.

Bolsonaro ainda lembrou da promessa que fez, ainda antes de ser eleito, de que indicaria alguém “terrivelmente evangélico” para o STF e disse que os evangélicos precisam estar representados em todos os setores da sociedade.

“Um evangélico não é condição para ser ministro, mas por que não buscar no meio evangélico alguém para colocar dentro do STF? Assim como temos uma centena de evangélicos no legislativo. Os senhores são aproximadamente 40% da população brasileira. Por que não se fazer representar em todos os setores da sociedade? Os senhores têm um compromisso de acreditar no Brasil, de acreditar em Deus, em buscar mudanças.”

Últimas