STF

Brasília Moraes afasta Roberto Jefferson da presidência do PTB

Moraes afasta Roberto Jefferson da presidência do PTB

Pedido foi de deputados do próprio partido, que alegam que Jeffferson usa as redes sociais da sigla para atacar instituições

  • Brasília | Renato Souza, do R7, em Brasília

Afastamento será, inicialmente, de 180 dias

Afastamento será, inicialmente, de 180 dias

BBC BRASIL

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, afastou, nesta quarta-feira (10), o ex-deputado Roberto Jefferson do comando do PTB. Ele atendeu a pedido de parlamentares do próprio partido. O afastamento deve ocorrer, inicialmente, por 180 dias. Jefferson é acusado de promover ataques e disseminar fake news contra a Corte e seus ministros. Em outubro, Jefferson tinha pedido licença do cargo

No pedido para que o ex-deputado seja afastado da presidência nacional da sigla, os autores alegam que ele, "por intermédio dos canais de comunicação do próprio Partido e de seus perfis pessoais nas redes sociais, extrapolando os limites de seu direito de liberdade de expressão, praticou condutas que configuram diversos crimes previstos no Código Penal e que infringem dispositivos do Estatuto do PTB".

Os deputados dizem ainda "haver elementos que apontam para a ilegal e indevida utilização de recursos do fundo partidário, não sendo recomendável nem “juridicamente possível” mantê-lo à frente da administração do Partido". As ações de Jefferson, de acordo com o pedido, vão no “intuito de prestigiar a desinformação, atacando frontalmente a Democracia e a honorabilidade dos membros deste STF, com conteúdo de ódio e de subversão da ordem, com a consequente quebra da normalidade institucional”.

Um dos episódios narrados na petição é um vídeo em que Jefferson, “empunhando armas”, mostra no Twitter a foto de mandado de busca e apreensão “afirmando que teve ‘computadores e armas’, segundo ele, apreendidos pela PF”.

Últimas