Brasília Moraes exige laudo médico para autorizar transferência de Jefferson

Moraes exige laudo médico para autorizar transferência de Jefferson

Presidente do PTB está internado na UPA de Bangu, no Rio de Janeiro, desde o dia 1º; defesa quer transferência para hospital particular

  • Brasília | Emerson Fraga, do R7, em Brasília

Valter Campanato/Agência Brasil

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), exigiu um laudo médico para autorizar a transferência para um hospital particular em Botafogo, no Rio de Janeiro (RJ). O despacho foi publicado nessa quinta-feira (2) no âmbito da Processo 0058937-79.2021.1.00.0000.
Jefferson está internado desde o dia 1º na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Bangu.

O ex-deputado está preso acusado de integrar uma espécie de milícia digital contra a democracia. Ele foi detido no dia 13 de agosto, em Comendador Levy Gasparian, na região de Petrópolis, no Rio de Janeiro, depois de postar vídeos nas redes sociais nos quais mostra armas, insulta o poder Judiciário e dá dicas de enfrentamento contra policiais.

Na decisão que determinou a prisão do presidente do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Moraes afirmou que o político faz parte de uma “possível organização criminosa” que tem como finalidade “desestabilizar as instituições republicanas”.

Depois disso, foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por suposta incitação ao crime e por homofobia – com base na mesma lei que tipifica crimes raciais. A denúncia é assinada pela subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo.

No despacho que exige o documento médico, Alexandre de Moraes exige a entrega de laudo detalhado pelo, em 48 horas, para decidir se o político será liberado ou não para ser internado em um hospital fora da cadeia.

No pedido, a defesa de Roberto Jefferson diz que ele tem saúde frágil e que toma 22 comprimidos por dia depois de ter passado por cirurgia bariátrica e ter feito tratamento contra câncer recentemente.

Últimas