Brasília Moraes pede vista e interrompe julgamento da inelegibilidade de Ivo Cassol

Moraes pede vista e interrompe julgamento da inelegibilidade de Ivo Cassol

Ex-senador apresentou pedido de candidatura ao governo nas eleições deste ano; julgamento ocorre no plenário virtual

  • Brasília | Renato Souza, do R7, em Brasília

Ivo Cassol apresentou pedido de registro de candidatura ao cargo de governador de Rondônia

Ivo Cassol apresentou pedido de registro de candidatura ao cargo de governador de Rondônia

Roque de Sá/Agência Senado

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu vista, mais tempo para analisar o caso, e suspendeu o julgamento da inelegibilidade do ex-senador Ivo Cassol. O político foi beneficiado por uma decisão do ministro Kássio Nunes que lhe devolveu os direitos políticos.

Com a decisão, Ivo pode concorrer nas eleições deste ano, pelo menos até o entendimento final da Corte. O ex-senador apresentou pedido de registro de candidatura ao cargo de governador de Rondônia e aguarda posição do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O julgamento ocorre no plenário virtual do Supremo e, com o pedido de vista, fica parado. A liminar de Kássio Nunes que autoriza a candidatura continua em vigor até nova decisão.  

O prazo para registro de candidatura se encerra na próxima segunda-feira (15). No dia seguinte, inicia-se a campanha eleitoral. Ivo Cassol foi acusado de fraude em licitação quando era prefeito do município de Rolim de Moura (RO), entre 1998 e 2001. Ele foi condenado pelo STF em 2013.

Foi estabelecida uma pena de quatro anos e oito meses de prisão, substituída por prestação de serviços à comunidade. Em 2020, a Corte extinguiu a pena, mas os direitos políticos continuaram suspensos até 4 de agosto deste ano, dia da decisão de Nunes Marques. 

Últimas