STF

Brasília PF aguarda Carla Zambelli hoje para depor sobre atos antidemocráticos

PF aguarda Carla Zambelli hoje para depor sobre atos antidemocráticos

Deputada, intimida no sábado pelo ministro do STF Alexandre de Moraes, disse que não teve acesso aos autos do processo

  • Brasília | Lucas Nanini, do R7, em Brasília

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), que deve depor na PF neste domingo (5)

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP), que deve depor na PF neste domingo (5)

Michel Jesus/ Câmara dos Deputados

A Polícia Federal aguarda a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) para depor neste domingo (5) em Brasília. A parlamentar foi intimada sobre o inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF) que investiga a organização de atos antidemocráticos no 7 de Setembro, por determinação do ministro Alexandre de Moraes.

Inicialmente, a previsão era de que a parlamentar comparecesse à sede da PF na capital federal durante a manhã. Nesse sábado, Carla afirmou que não teve acesso aos autos do processo, mas que prestaria depoimento em respeito à Polícia Federal e à Constituição.

“É certo que para mim, o mar ficará agitado após essa oitiva, mas nada impedirá que mantenha minhas convicções e acredite naquilo que sempre defendi", disse.

A deputada convocou os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a participarem das manifestações agendadas para esta terça-feira (7), durante as celebrações pela Independência do Brasil. Bolsonaro participará dos atos em Brasília e em São Paulo.

“É com esse mesmo espírito que conclamo a todos meus amigos, eleitores e cidadãos brasileiros a comparecerem às manifestações da Nova Independência com o propósito de pacificar o país", afirmou.

Na última sexta-feira, também por determinação de Moraes, dois mandados de prisão foram expedidos contra o caminhoneiro Zé Trovão e o blogueiro conservador Wellington Macedo, que foi preso ontem. Os dois são suspeitos de incentivar manifestações violentas e de promover ataques contra a democracia.

Bolsonaro

O presidente Bolsonaro fez críticas aos ministros do Supremo, durante discurso a apoiadores em Caruaru, nesse sábado (4). Ele também convocou apoiadores para os atos de terça-feira.

“Não podemos admitir que um ou dois homens ameacem a nossa democracia ou a nossa liberdade. Se aparece um dos meus 23 ministros e tem um comportamento fora da Constituição, eu chamo a atenção dele e, se não se enquadrar, eu demito. O mesmo ocorre com a Câmara, o Senado, com o Conselho de Ética. O nosso STF não pode ser diferente do Poder Executivo ou Legislativo. Se lá tem alguém que ousa continuar agindo fora das quatro linhas, aquele poder tem que chamar essas pessoas e enquadrá-las. E lembrar que ele fez o juramento para cumprir a Constituição”, disse o presidente.

Últimas