Eleições 2022

Brasília Reguffe anuncia pré-candidatura ao Governo do Distrito Federal

Reguffe anuncia pré-candidatura ao Governo do Distrito Federal

Demora do parlamentar do União Brasil em declarar a que cargo concorreria era fator de indefinição nas disputa pelo Buriti

  • Brasília | Luiz Calcagno, do R7, em Brasília

Senador Reguffe (União Brasil-DF)

Senador Reguffe (União Brasil-DF)

Divulgação/PDT

O senador Reguffe (União Brasil-DF) anunciou, nesta sexta-feira (24), sua pré-candidatura ao Governo do Distrito Federal. O comunicado já era visto como certo por apoiadores, mas a demora do parlamentar em declarar a que cargo concorreria era um fator de indefinição nas eleições locais.

“Serei candidato. Disputarei as eleições para tentar representar e governar você com a dignidade que você merece”, afirmou o senador em vídeo previamente gravado e publicado em seu perfil no Instagram. Reguffe destacou as dificuldades que a capital enfrenta na Saúde, e também falou em preparar o DF para depender menos do serviço público.

“Precisamos de um governo que seja marcado, antes de qualquer coisa, por cuidar das pessoas, por melhorar a qualidade dos serviços públicos na Saúde, na Educação, na Segurança”, disse. O senador também garantiu que, se eleito, governará o DF por um único mandato, “para que tenha um governo de quatro anos que una a cidade, que faça dar certo”.

O parlamentar era visto até então como nome viável para o Buriti e para o Senado. Nas pesquisas, aparecia como o nome mais forte na disputa pelo governo do DF depois do governador Ibaneis Rocha (MDB). Mesmo filiado a um partido de direita, ele tem trânsito entre as legendas do campo progressista na capital.

Reguffe tem conversado com o ex-governador Rodrigo Rollemberg (PSB), por exemplo, que articula uma posição vantajosa para Rafael Parente, o pré-candidato do PSB na disputa. Recentemente, o senador também foi cotado para compor uma chapa com o Cidadania, tendo a deputada federal Paula Belmonte como pré-candidata a vice.

Reação de adversários

Mesmo antes de Reguffe declarar que disputaria a cadeira do Buriti, os diálogos com outras legendas provocaram reações de adversários. Uma dessas reações foi a proposta do presidente do PSDB, Bruno Araújo, para o colegiado nacional da federação do partido com o Cidadania, para nomear Izalci (PSDB-DF) coordenador das legendas.

A medida dá poderes para que Izalci defina a chapa dos dois partidos no DF e eventuais coligações. A jogada ocorre porque uma chapa que una Reguffe e Paula Belmonte atrapalharia os planos de Izalci de disputar as eleições para o Buriti. Como coordenador, o tucano dificulta essa união.

A proposta será votada em 7 de julho, mas o colegiado federal, composto de 15 tucanos e quatro membros do Cidadania, deverá garantir a primazia do tucano no DF e a submissão dos colegas do Cidadania a suas decisões.

Nas pesquisas

A pesquisa Real Time Big Data encomendada pela Record TV e divulgada em 8 de junho mostra Reguffe em terceiro lugar. O levantamento considera a presença do ex-governador José Roberto Arruda (PL) no pleito.

Em um dos cenários, Ibaneis aparece com 28%, seguido de José Roberto Arruda (PL), com 17%, e o senador com 16%. Arruda ainda não conseguiu se desvencilhar das condenações por improbidade administrativa e permanece inelegível.

Na pesquisa espontânea do instituto, Reguffe volta para o segundo lugar, com 5% das intenções de voto. Ibaneis aparece em primeiro com 14%, Arruda vem em terceiro com 3%, seguido por Leila Barros (PDT), com 2% e Leandro Grass (PV), com 1%.

Últimas