Brasília Saúde anuncia entrega de 7,8 mi de doses da Janssen em novembro

Saúde anuncia entrega de 7,8 mi de doses da Janssen em novembro

Outros 28,4 milhões de unidades da vacina de dose única chegam em dezembro. Pasta planeja usar imunizante para reforço

  • Brasília | Bruna Lima, do R7, em Brasília

Novas remessas de vacina da Janssen devem chegar ao Brasil em novembro e dezembro

Novas remessas de vacina da Janssen devem chegar ao Brasil em novembro e dezembro

Vincent West/Reuters - 22.4.2021

O Brasil receberá, em novembro, mais 7,8 milhões de unidades da vacina de dose única da Janssen para reforçar a Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19. Para dezembro, são esperadas outras entregas, que somam 28,4 milhões de unidades. As informações foram confirmadas pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, nesta quarta-feira (20). 

Segundo Queiroga, o cronograma é resultado de uma busca ativa do governo por vacinas. "É o que nós temos feito: trabalhado fortemente para impulsionarmos uma das maiores campanhas públicas de vacinação do mundo."

O Ministério da Saúde havia fechado a compra de 38 milhões de unidades do imunizante de dose única. As novas remessas programadas concluem as entregas contratadas, já que a farmacêutica entregou 1,8 milhão de doses até o momento. O Brasil recebeu, ainda, outros 3 milhões de doses da vacina por doação dos Estados Unidos, mas esse montante não está contabilizado nas negociações entre a Janssen e o governo brasileiro. 

A ideia do Ministério da Saúde é aplicar o imunizante de dose única como reforço e para compor a campanha de vacinação contra a Covid de 2022. Por enquanto, pela disponibilidade, a Pasta tem dado preferência à aplicação da Pfizer como dose extra aos profissionais de saúde, imunossuprimidos e pessoas acima de 60 anos. No entanto, a AstraZeneca e a Janssen também podem ser utilizadas para essa finalidade. 

Apesar de ser uma vacina de dose única, a Janssen apresentou resultados de um estudo mostrando que uma segunda aplicação, feita cerca de dois meses após a primeira, aumentou a proteção de 70% para 94%. A agência reguladora norte-americana aprovou a dose de reforço para aumentar a imunidade. No Brasil, o Ministério da Saúde ainda não informou se aplicará o imunizante duas vezes. 

Últimas