Brasília Saúde vai enviar informações à Anvisa sobre autotestes

Saúde vai enviar informações à Anvisa sobre autotestes

Agência reguladora cobrou informações da pasta e voltará a discutir liberação de autotestes em cerca de duas semanas

  • Brasília | Isabella Macedo, do R7, em Brasília

Anvisa cobrou da pasta comandada por Queiroga uma política pública para autotestes

Anvisa cobrou da pasta comandada por Queiroga uma política pública para autotestes

Sergio Lima/AFP - 11.02.2022

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nas redes sociais que a pasta vai mandar mais informações à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para a liberação de autotestes de detecção da Covid-19 no país. Nesta quarta-feira (19), a agência reguladora adiou a decisão sobre os testes por considerar que a nota técnica enviada pelo Ministério da Saúde não foi acompanhada por uma política pública em apoio à testagem.

Durante a solenidade de assinatura de uma portaria para liberar verbas aos municípios baianos afetados pela chuva, Queiroga demonstrou irritação e não respondeu diretamente a pergunta feita pelos jornalistas. “A pergunta sobre a Anvisa precisa ser direcionada aos dirigentes da Anvisa. Eu ainda não tive acesso ao inteiro teor dessa, entre aspas, cobrança, e uma vez tendo acesso nós vamos nos manifestar de maneira tempestiva e nos canais competentes”, disse Queiroga mais cedo.

Horas mais tarde, em sua conta no Twitter, Queiroga afirmou: "Vamos complementar as informações solicitadas pela Anvisa". O ministro voltou a dizer que a pasta se mantém a favor da liberação e venda dos autotestes em farmácias.

A Anvisa voltará a discutir o tema em 15 dias, a partir de uma diligência com coleta de dados e reuniões com o ministério. Na reunião desta quarta, a relatora do assunto, a diretora Cristiane Rose Jourdan, apresentou voto que possibilitava uma deliberação sobre o tema, mesmo sem apoio da política pública, em razão da situação de emergência de saúde e do recrudescimento da pandemia da Covid-19. Como alternativa para conseguir aprovar o uso e venda dos autotestes, mesmo com a limitação argumentada, a agência elaborou uma proposta para regulamentação que seria votada pelos diretores.

No entanto, o diretor Rômison Mota sugeriu que a deliberação fosse suspensa, colocando como alternativa diligências junto ao Ministério da Saúde, em busca de informações para sanar as dúvidas e gargalos, e estabelecendo o prazo de 15 dias para decidir sobre a aprovação dos autotestes.

Últimas