Brasília Secretaria de Saúde remobiliza 105 leitos de UTI Covid para não Covid

Secretaria de Saúde remobiliza 105 leitos de UTI Covid para não Covid

Taxa de ocupação de leitos de UTI Covid gira em torno de 55%, taxa segura para transferir equipamentos intensivos para outras doenças, segundo a pasta

  • Brasília | Alan Rios, do R7, em Brasília

Secretaria de Saúde diz perceber aumento da demanda ‘não Covid’ em relação à demanda Covid

Secretaria de Saúde diz perceber aumento da demanda ‘não Covid’ em relação à demanda Covid

GISELE PIMENTA/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal anunciou que remobilizou 105 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Os equipamentos estavam sendo utilizados exclusivamente para atendimento de pessoas em tratamento de infecção pela Covid-19, mas, segundo a pasta, o andamento da pandemia permite que eles sejam direcionados para pacientes de outras doenças.

O anúncio foi realizado durante a coletiva da Secretaria de Saúde, na tarde desta segunda-feira (30). A secretária adjunta de assistência à saúde do DF, Raquel Bevilaqua, explicou a mudança. “Nossa taxa de ocupação de leitos de UTI Covid vem gerando em torno de 55%, com apenas seis pacientes na lista de espera. É importante lembrar que, em cinco ou seis horas, eles vão sendo direcionados aos leitos”, detalhou.

Na avaliação de Raquel, a taxa de ocupação de leitos com suporte de ventilação está em uma etapa segura neste momento. “Percebemos um aumento da demanda ‘não Covid’ em relação à demanda Covid, então, fizemos essa remobilização”, completou.

Porém, a Secretaria de Saúde ressaltou que o avanço da variante Delta e da taxa de transmissão do novo coronavírus trazem alertas em relação ao futuro, como disse Divino Valério, subsecretário de Vigilância à Saúde.

“Temos, no DF, 181 casos e oito óbitos da variante Delta, e uma taxa de transmissão de 1,8. Por isso, é muito importante mantermos o uso de máscaras, distanciamento, higienização das mãos. A epidemia não terminou e precisamos nos concentrar nessas medidas de contenção até que consigamos vacinar boa parte da população com a segunda dose".

Últimas