CPI da Covid

Brasília Senador pede convocação de ex-esposa de Bolsonaro à CPI

Senador pede convocação de ex-esposa de Bolsonaro à CPI

Alessandro Vieira protocolou o pedido para entender a relação de Ana Cristina e intermediações de lobistas

  • Brasília | Bruna Lima, do R7, em Brasília

Ex-esposa de Bolsonaro vira alvo da CPI da Pandemia

Ex-esposa de Bolsonaro vira alvo da CPI da Pandemia

Joedson Alves/EFE - 02.09.2021

Ana Cristina Siqueira Valle, ex-esposa do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), virou alvo da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Pandemia. Um novo requerimento, protocolado nesta sexta-feira (3), busca convocá-la para depor em razão das suspeitas de atuação na intermediação de interesses de lobistas junto ao governo federal. O pedido é do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE).

O requerimento tem como base mensagens eletrônicas extraídas de um celular e em posse da CPI. O material faz parte de uma investigação conduzida pelo Ministério Público Federal no Pará e apura desvio de recurso público na Saúde.

Segundo a justificativa do senador, as informações indicam que, “a pedido do lobista Marconny Faria, Ana Cristina Siqueira Valle entrou em contato com o Palácio do Planalto para exercer influência no processo de escolha do Defensor Público-Geral Federal, junto ao então Ministro da Secretaria Geral da Presidência e ao atual Ministro do TCU, Jorge Oliveira”.

Marconny Faria é outro alvo da CPI, cuja convocação já foi aprovada, mas a testemunha não compareceu. Por isso, os membros da comissão trabalham para conduzi-lo de forma obrigatória à próxima sessão, depois da semana do feriado de 7 de setembro. A suspeita é de que ele tentou beneficiar a Precisa Medicamentos no chamamento público para contratação de 12 milhões de testes de detecção de Covid-19. Já a Precisa Medicamentos, também é investigada da CPI por possíveis irregularidades na negociação de compra da Covaxin.

Diante da teia de conexões, o senador Alessandro Vieira sustenta que a relação entre Marconny e a ex-esposa de Bolsonaro “deve ser amplamente esclarecida, com vistas a examinar potencial atuação ilícita de ambos no contexto da pandemia”. O G7, grupo de oposicionistas e independentes do governo que formam maioria na comissão, ainda irá discutir sobre o requerimento e decidir se pautará o pedido já na próxima sessão deliberativa.

Últimas