STF

Brasília STF suspende sessão e adia novamente marco temporal

STF suspende sessão e adia novamente marco temporal

Corte já dedicou quatro sessões para tratar do assunto que afeta declarações de reservas indígenas

  • Brasília | Renato Souza, do R7, em Brasília

Fux suspendeu a sessão; policiais faziam barreira para impedir manifestantes de invadirem

Fux suspendeu a sessão; policiais faziam barreira para impedir manifestantes de invadirem

Foto: José Cruz/Agência Brasil

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux, suspendeu a sessão plenária desta quarta-feira (8). Os ministros avaliam a constitucionalidade do marco temporal para a demarcação de terras indígenas, que voltará a ser debatido na quinta-feira (9).

Fux declarou que a suspensão, incomum para o horário, ocorreu para que os magistrados pudessem cuidar de outras demandas dos gabinetes antes de que se iniciasse a análise do mérito do tema relacionado aos povos tradicionais.

Normalmente, às 16h, a sessão entra em um intervalo de 30 minutos ou uma hora, sendo retomada em seguida, o que não ocorrerá hoje. Do lado de fora, manifestantes pressionam uma barreira policial para tentar chegar até o prédio da Corte.

A segurança no Supremo foi reforçada na semana passada e, de acordo com informações obtidas pelo R7 junto a fontes no Tribunal, existe uma grande preocupação com a segurança dos ministros. Uma equipe da Polícia Federal está no local desde o período da manhã e a Polícia Jurídica monitora as dependências do Tribunal.

De acordo com a assessoria do STF, não houve anormalidade e a suspensão estava combinada com os ministros pela previsão de que o voto do ministro Facchin fosse se alongar. 

Esta foi a quarta sessão para tratar do assunto. O plenário avalia se os povos tradicionais tem direito a terras que foram ocupadas após 1988. Cerca de 7 mil indígenas estão em Brasília para acompanhar a análise do tema. No entanto, em razão do forte esquema de segurança, eles não puderam se deslocar até a Praça dos Três Poderes.

Últimas