Brasília TCU deixou de ser o órgão que 'amedrontava', diz Bolsonaro

TCU deixou de ser o órgão que 'amedrontava', diz Bolsonaro

Em evento, presidente declarou que o tribunal atua de maneira integrada ao seu governo e previne avanço de processos

  • Brasília | Maurício Ferro, do R7 em Brasília

Presidente participou do 5º Fórum Nacional de Controle do TCU

Presidente participou do 5º Fórum Nacional de Controle do TCU

Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro declarou, na manhã desta quinta-feira (4), que o Tribunal de Contas da União (TCU), responsável por analisar contas do governo federal, deixou de ser um órgão amedrontador.

“[O TCU] quase deixou de ser um órgão que amedrontava, muitas vezes, no passado. Hoje, é um órgão que se preocupa em se antecipar aos problemas, evitar que processos sigam avante, a partir do momento que pode atuar para evitar o problema”, afirmou Bolsonaro, no 5º Fórum Nacional de Controle, realizado pelo TCU, com foco nos desafios e oportunidades da educação na pandemia.

Bolsonaro afirmou que o TCU “participa das decisões governamentais como se fosse um órgão integrado” ao governo federal por causa da forma como se relacionam. Ele elogiou as “qualidades” dos ministros que integram o tribunal.

O presidente também mencionou uma “parceria” na questão da “malha ferroviária paulista”, com a qual, segundo ele, “está sendo ressuscitada a questão do modal ferroviário”, e, também, “na questão do 5G”, cujo leilão está previsto para esta quinta-feira (4).

Bolsonaro ainda citou o leilão de rodovias, como a Presidente Dutra. Ele destacou que pode zerar o pedágio para motocicletas e reduzir o valor do pedágio em 35%. “Ganha o Brasil com isso”, afirmou.

O presidente esteve acompanhado do vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB), e dos ministros Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia), Fábio Faria (Comunicações), Ciro Nogueira (Casa Civil) e Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União).

Últimas