Eleições 2022

Brasília Terceira via não sobe em pesquisas porque não definiu nome, diz Tebet

Terceira via não sobe em pesquisas porque não definiu nome, diz Tebet

Segundo senadora, terceira via vai definir candidato até 18 de maio com acordos entre ela, Doria e Luciano Bivar. Moro fica de fora

  • Brasília | Alan Rios, do R7, em Brasília

Senadora Simone Tebet (MDB-MS)

Senadora Simone Tebet (MDB-MS)

Pedro França/Agência Senado

A senadora Simone Tebet (MDB) afirmou que a estagnação da terceira via em pesquisas eleitorais é um movimento natural antes da definição de um nome único. Segundo ela, o chamado centro democrático vai anunciar o candidato às eleições presidenciais até 18 de maio. A avaliação foi feita durante o evento Brazil Conference 2022, neste domingo (10), em Boston.

“Quando nós não pontuamos [nas pesquisas] é justamente porque não chegamos a apresentar ao Brasil qual a cara do centro democrático”, disse. Tebet ainda levantou os três nomes escolhidos como “pré-candidatos do centro”. Além dela, a senadora citou João Doria (PSDB) e Luciano Bivar (União Brasil).

“Um presidente [da República] que tem quase 60% de rejeição está no segundo turno por quê? Porque o centro democrático ainda não apresentou seu candidato. Me desculpe o ministro Sergio Moro, mas hoje ele não é, por enquanto, o pré-candidato do União Brasil, que vai ter um pré-candidato que é o Luciano Bivar. Agora dia 14 vai ser anunciado”, afirmou.

Outro nome deixado de fora da relação feita por ela na palestra foi o ex-governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite (PSDB). Nas últimas semanas, Leite disse que Simone Tebet tem condição de ser uma liderança no projeto da terceira via. O ex-governador ainda pontuou que está à disposição para uma possível participação como vice-presidente de uma chapa com ela.

Tebet também ressaltou que essa terceira via vem sendo afunilada para um nome final. “Começamos com sete pré-candidatos no final do ano. Viramos o ano com cinco. Foram quatro, três. Hoje temos absoluta certeza que o centro democrático dia 18 de maio estará escolhendo um candidato único, ou pré-candidato, à Presidência da República.”

Dizendo que “quem quer apoio tem que estar disposto a dar apoio”, a senadora se avaliou como uma pré-candidata preparada para “liderar a legião que não quer nem o atual governo nem voltar ao passado”.

Últimas