Brasília Testes de gripe podem acabar em 20 dias no DF, diz sindicato

Testes de gripe podem acabar em 20 dias no DF, diz sindicato

Estoque de kits da rede particular do Distrito Federal podem acabar diante do aumento na procura por exames nos últimos dias

  • Brasília | Jéssica Moura, do R7, em Brasília

DF só tem teste de gripe para mais 20 dias, diz Alexandre Bitencourt

DF só tem teste de gripe para mais 20 dias, diz Alexandre Bitencourt

Pixabay

O estoque de testes para diagnóstico da infecção pela gripe nos laboratórios particulares do Distrito Federal está perto de acabar. Segundo o presidente do Sindicato dos Laboratórios de Pesquisas e Análises Clínicas do DF, Alexandre Bitencourt, as reservas de kits e reagentes só suprem a demanda para mais 20 dias de testagens.

"Se os fornecedores não conseguirem normalizar, pode ser que a gente não consiga fazer testes para influenza", alerta. A entidade presidida por ele representa 210 pontos de coleta no DF. Segundo Bitencourt, ainda não há perspectiva para essa normalização do quadro. "Esse é um problema nacional na cadeia de fornecimento, lá no Rio de Janeiro já está acontecendo."

A preocupação do órgão se limita aos testes para influenza. Contudo, Bitencourt frisou que, em relação aos testes para diagnóstico de Covid-19, há estoque suficiente. "É um volume expressivo, temos capacidade instalada para atender a população". Os dois exames são feitos na mesma coleta. O diagnóstico é importante para que o médico possa definir o tratamento adequado para cada caso. 

Ele explica que essa escassez de testes se deve ao aumento expressivo da demanda por esses exames. A estimativa do sindicato é que entre a última semana de dezembro e o início de janeiro houve um salto de 50% na procura por exames de Covid-19 e influenza. "Estão fazendo os dois ao mesmo tempo", afirma. Nesta terça (4), foi identificado um caso de dupla infecção no DF, uma criança de 8 anos moradora de Águas Claras.

Na comparação entre novembro e dezembro do ano passado, os resultados positivos para Covid-19 subiram 16%. Em relação aos exames de gripe, houve uma elevação de 24% entre os testes que detectaram a infecção entre os pacientes. "Surpreendeu", resumiu o especialista.

"A gente costuma ver sazonalidade nesses exames, que acontecem no primeiro trimestre de todo ano, só que agora se antecipou um pouco. O surto do Rio de Janeiro veio acompanhando e chegou aqui em Brasília", avalia Alexandre.

Últimas