STF

Brasília 'Todo mundo torcendo para manter a pacificação', diz deputado do PP

'Todo mundo torcendo para manter a pacificação', diz deputado do PP

Deputado Fausto Pinato se reuniu com o ex-presidente Temer no dia 8 e sugeriu que ele ajudasse Bolsonaro a acalmar ânimos

  • Brasília | Sarah Teófilo, do R7, em Brasília

Deputado federal Fausto Pinato (PP-SP)

Deputado federal Fausto Pinato (PP-SP)

Luis Macedo/Câmara dos Deputados - 10.12.2015

Depois de o assunto impeachment do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), ter sido efetivamente discutido entre integrantes de partidos do centrão, nesta semana, o cenário é de esperança de que o chamado "recuo" de Bolsonaro dure por algum tempo. O deputado federal Fausto Pinato (PP-SP), afirmou que, agora, os parlamentares estão torcendo para que o clima mais ameno paire sobre a política em Brasília.

"Todo mundo torcendo para se manter essa pacificação. Alguns ainda desconfiados, outros mais animados. Neste momento agora, é dar esse voto de confiança [ao presidente]", afirmou ao R7. Bolsonaro colocou-se, mais uma vez, em uma crise, depois de discursar, no 7 de Setembro, dizendo que não mais cumpriria ordem judicial do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes.

Quem foi em socorro do mandatário foi o ex-presidente da República Michel Temer (MDB), grande articulador político e o responsável pela indicação de Moraes ao STF. Temer elaborou uma carta, intitulada "Declação à nação", assinada por Bolsonaro e divulgada no site do governo federal na última quinta-feira (9). Nela, ele disse que não teve "nenhuma intenção de agredir quaisquer dos poderes" e que suas palavras, "por vezes contundentes, decorreram do calor do momento e dos embates que sempre visaram o bem comum".

O deputado Fausto Pinato almoçou com Temer na última quarta-feira (8). Durante o governo do emedebista, o parlamentar atuou ao seu lado. No almoço, o ex-presidente manifestou preocupação com a situação econômica do país, segundo o deputado. Depois, Pinato passou para outros parlamentares a leitura de Temer sobre a situação. "Que se Bolsonaro insistisse nessa ruptura institucional, não teria outro caminho", disse o deputado, referindo-se à possibilidade de impedimento do mandatário.

Agora, os parlamentares questionam se o recuo é real ou não. "Eu torço para ser verdadeiro. Todo mundo torcendo para ser real. Alguns acham que é, outros acham que ele não aguenta e logo escorrega de novo. Mas eu tô muito em paz comigo. Porque ninguém jogou querosene. Fomos duros na questão institucinal, mas demos uma saída para a pacificação. Agora, se isso voltar a repetir vai ser uma queda de confiança grande perante à população, às lideranças", pontuou.

Após o 7 de Setembro, com a multidão sendo inflada pelo presidente da República contra o STF, Pinato criou um grupo de Whatsapp para discutir a crise entre os poderes. O grupo continua, e tem, além de Pinato, o vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), Marcelo Ramos (PL-AM), os deputados federais Fábio Trad (PSD-MS), Kim Kataguiri (DEM-SP), Vinicius Poit (Novo-SP), o líder do Podemos no Senado, Álvaro Dias (PR), o general Santos Cruz, ex-ministro do governo Bolsonaro, e até o ex-ministro do governo de Michel Temer Carlos Marun, que também é ex-deputado federal.

Últimas