Brasília Vídeo: Bolsonaro disse a jornalista sumido que 'Amazônia é do Brasil, não de vocês', em 2019

Vídeo: Bolsonaro disse a jornalista sumido que 'Amazônia é do Brasil, não de vocês', em 2019

Britânico Dom Phillips e indigenista Bruno Araújo desapareceram no último domingo (5), no Vale do Javari, no Amazonas

  • Brasília | Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

Jornalista Dom Phillips questiona Bolsonaro sobre preservação da região amazônica, em 2019

Jornalista Dom Phillips questiona Bolsonaro sobre preservação da região amazônica, em 2019

Marcos Corrêa / PR / 19.07.2019

Em julho de 2019, o presidente Jair Bolsonaro afirmou ao jornalista britânico Dom Phillips, desaparecido desde o último domingo (5), que a Amazônia "é do Brasil, não de vocês". A declaração foi registrada num vídeo publicado nas redes sociais pelo próprio chefe do Executivo nacional.

Phillips havia questionado como Bolsonaro pretendia mostrar para as demais nações de que forma o governo brasileiro está comprometido com a redução do desmatamento na região amazônica. "Primeiro você tem que entender que a Amazônia é do Brasil, não de vocês. A primeira resposta é essa aí, tá certo?", respondeu o presidente.

"[Com] toda essa devastação que vocês nos acusam que estamos fazendo, que já foi feita no passado, a Amazônia já teria sido extinta, já seria um grande deserto", acrescentou, destacando que o Brasil é o que mais preserva a região. "Nenhum país do mundo tem moral para falar da Amazônia", defendeu Bolsonaro.

Na ocasião, a área desmatada da Amazônia em julho havia atingido uma área total de 2.254 km², o equivalente a mais de um terço de todo o volume desmatado nos 12 meses anteriores, entre agosto de 2018 e julho de 2019, período em que o volume total do desmatamento chegou a 6.833 km².

Os dados são do Sistema de Detecção do Desmatamento na Amazônia Legal em Tempo Real, ferramenta do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. O volume de 6.833 km² supera em 33% o desmatamento medido nos 12 meses anteriores.

"A gente sabe que é do interesse mundial pelo que resta do planeta, basicamente, a Amazônia. Eu não tenho provas, mas o interesse em criar agora uma grande área de preservação da Amazônia, de 136 milhões de hectares, se discute lateralmente quando há reuniões de clima pelo mundo afora", completou Bolsonaro.

Desaparecimento

Phillips e o indigenista Bruno Araújo, que também é servidor da Funai, estão desaparecidos desde o último domingo (5) no Vale do Javari, no Amazonas. Como o R7 mostrou, a região, segunda maior terra indígena do país, é pressionada por pesca ilegal, garimpo, tráfico e extração de madeira , além de ser palco de conflitos com pescadores e garimpeiros.

Na última terça-feira (7), Bolsonaro disse que Phillips e Araújo estavam numa "aventura que não é recomendável" e levantou suspeitas de que eles possam ter sido mortos, apesar de esperar que sejam encontrados em breve.

"Realmente, duas pessoas apenas num barco, numa região daquela, completamente selvagem, é uma aventura que não é recomendável que se faça. Tudo pode acontecer. Pode ser um acidente, pode ser que tenham sido executados. A gente espera, e pede a Deus, que sejam encontrados brevemente", afirmou Bolsonaro.

A Polícia Federal investiga o caso e ouviu duas testemunhas do desaparecimento do jornalista, que é colaborador do The Guardian, e do servidor da Funai. Eles prestaram depoimento no início da noite da última segunda-feira (6) e foram liberados.

Últimas