Brasília Wassef diz que Coaf é 'organização criminosa' à margem do Estado

Wassef diz que Coaf é 'organização criminosa' à margem do Estado

Para advogado dos Bolsonaros, conselho 'mentiu deliberadamente' e novas investigações sobre rachadinha 'não preocupam'

  • Brasília | Bruna Lima, do R7, em Brasília

O advogado Frederick Wassef, que diz que Flávio Bolsonaro não cometeu crimes de rachadinha

O advogado Frederick Wassef, que diz que Flávio Bolsonaro não cometeu crimes de rachadinha

Record

A vitória do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) em relação às investigações do caso das rachadinhas deu munição à família Bolsonaro contra o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras). Advogado do presidente da República e de seus filhos, Frederick Wassef acusa o órgão de abrigar uma "organização criminosa que vem agindo como Estado paralelo, uma verdadeira secretaria de espionagem".

Em entrevista exclusiva concedida ao Portal R7, Wassef alega, ainda, ter sido vítima das "investigações ilegais" da autarquia, que "mentiu deliberadamente, afirmando que existiam movimentações atípicas e suspeitas" em suas contas. Sem citar nomes, o advogado afirma ter provas do suposto esquema criminoso dentro do Coaf e das figuras-chave por trás da elaboração dos relatórios contra ele e o senador, sustentando motivação política, tendo como alvo a família Bolsonaro e seus aliados.

São inúmeros os rastros de crime desde o início dessa campanha de perseguição política com o uso da máquina pública contra o senador Bolsonaro

Frederick Wassef, advogado

Wassef também diz que vai acionar a Polícia Federal para que investigue a atuação do Coaf no caso de Flávio Bolsonaro, e que aposta em uma mudança profunda no conselho a partir das prometidas revelações que deverão surgir. Apesar da vitória do senador junto ao STF, o parlamentar continua na mira da Justiça. Dos cinco relatórios do Coaf, um não teve sua legalidade questionada e, por isso, pode servir de base para a abertura de novas apurações. Wassef diz não estar preocupado com a abertura de novos inquéritos. "Não existe nada mais contra Flávio Bolsonaro."

Além de manter o foro especial do parlamentar, por 3 votos a 1, o STF decidiu invalidar quatro dos cinco relatórios do Coaf que tinham servido de base para as investigações do Ministério Público do Rio. O primeiro relatório — que deu origem ao inquérito das rachadinhas, ao apontar movimentações suspeitas do ex-assessor Fabrício Queiroz — não foi considerado ilegal, já que havia sido gerado espontaneamente. O advogado reitera que acusações produzidas pelo Coaf e anuladas pelo STF não podem ser usadas em investigações futuras. "Não nos preocupa. Se vierem de forma ardilosa, por via transversa, se quiserem se utilizar desses elementos anulados para tentar reabrir uma investigação, isso será vedado." 

O R7 pediu ao Coaf um posicionamento sobre as críticas e acusações do advogado, e aguarda resposta. 

Confira nos vídeos abaixo os principais trechos da entrevista.

Críticas ao Coaf

“Existe uma organização criminosa infiltrada no Coaf que vem agindo como Estado paralelo”

Dossiê contra Wassef

“Eu fui vítima desses crimes bárbaros cometidos pelo Coaf”

Pedido de inquérito contra o Coaf

“Assim que for publicado o acórdão, vou requerer a abertura de uma investigação na PF”

Alvo de perseguição política

“Um dos criminosos tem 11 anos de prisão acumulada a cumprir, é um foragido da Justiça”

Imagem da família Bolsonaro

“Sem sombra de dúvida, o tsunâmi negativo causa um dano à imagem”

Últimas