Notícias Campinas amplia toque de recolher após passar de 3,5 mil mortes por covid

Campinas amplia toque de recolher após passar de 3,5 mil mortes por covid

Agência Estado

Comércio, serviços e atividades religiosas de Campinas, no interior de São Paulo, devem fechar das 19h às 5h a partir deste sábado, 19. Com multa prevista em caso de descumprimento, o toque de recolher mais rigoroso foi anunciado nesta sexta-feira, 18, após a cidade registrar fila por vaga na UTI e mais 18 mortes por covid-19, totalizando 3.554 óbitos desde o início da pandemia.

A prefeitura proibiu também, no mesmo horário, o consumo de bebidas alcoólicas em ruas e locais de acesso público, incluindo dependências de postos de combustíveis. Até agora, Campinas vinha seguindo a fase de transição do Plano São Paulo, com encerramento das atividades das 21h às 6 horas.

O toque de recolher vale para restaurantes, mercados, supermercados e padarias, além de academias, templos e igrejas. Em caso de quebra da regra, o infrator será multado em R$ 1,5 mil. Se o consumo for em posto de combustível, o estabelecimento será multado em R$ 3 mil, valor que dobra na reincidência, além da lacração do posto por 30 dias.

Durante o dia, as atividades estão liberadas com 40% de ocupação. A Guarda Municipal de Campinas ganhou reforço em seu efetivo para realizar a operação Aglomeração Zero.

As pessoas que estiveram nas ruas após as 19 horas serão mandadas para casa, com exceção de trabalhadores em serviços de saúde e atividades essenciais. "A nossa prioridade é intensificar a fiscalização das aglomerações em vias públicas, perto de bares e postos de combustíveis, que é onde está ocorrendo a transmissão", disse o prefeito Dário Saadi (Republicanos) ao anunciar as medidas.

Nesta sexta, os leitos para covid-19 no SUS Municipal atingiram 100% de ocupação. Havia ainda 32 pacientes na fila por UTI. A maior cidade do interior já chegou a 109.251 infectados pelo coronavírus.

Últimas