Carros 46 das 67 fábricas de veículos suspendem a produção em todo o país

46 das 67 fábricas de veículos suspendem a produção em todo o país

Medidas de enfrentamento ao coronavírus incluem paralisação que varia de três a quatro semanas conforme cada montadora: prazo pode ser ajustado a cada momento conforme determinação do poder público

  • Carros | Marcos Camargo Jr

Unidade da Jaguar Land-Rover em Itatiaia/RJ que também aderiu à paralisação

Unidade da Jaguar Land-Rover em Itatiaia/RJ que também aderiu à paralisação

Jaguar Land-Rover

Das 67 fábricas de veículos instaladas no país 46 já estão paralisadas devido às medidas de enfrentamento ao coronavírus (COVID-19). 14 montadoras atendem ao decreto do Ministério da Saúde e interrompem a produção de veículos em todas as suas unidades. Inicialmente, os funcionários entram em férias coletivas enquanto a área administrativa.

Hoje a Renault, que havia confirmado a suspensão da produção no próximo dia 25, antecipou a medida visando salvaguardar a integridade dos 7.500 colaboradores da linha de produção do Complexo Ayrton Senna. A General Motors também está paralisando a linha de produção.

Paralisação da fábrica no Rio de Janeiro começa na próxima quarta-feira, dia 25.

Paralisação da fábrica no Rio de Janeiro começa na próxima quarta-feira, dia 25.

jaguar Land Rover Divulgação

A Jaguar Land-Rover também confirmou hoje a paralisação da produção em Itatiaia/RJ no próximo dia 25 de março até 27 de abril.

Hoje a Nissan, HPE (Mitsubishi e Suzuki), Caoa-Chery (que inclui também a Caoa Hyundai) e Hyundai, que registrou um caso suspeito de coronavírus entre os seus colaboradores na última sexta (20) mas já havia programado a paralisação da produção na unidade de Piracicaba/SP. O colaborador fez teste para o COVID-19 que deu negativo, informou a assessoria de imprensa da montadora.

Renault antecipou paralisação para hoje em cumprimento ao decreto do Ministério da Saúde

Renault antecipou paralisação para hoje em cumprimento ao decreto do Ministério da Saúde

Renault Divulgação

Diversas montadoras anunciaram na última semana que a paralisação seria gradual ao longo desta semana mas anteciparam as providências para atender ao decreto das autoridades e da Organização Mundial de Saúde (OMS). Em todo o país, apenas a produção de alimentos, refino de combustíveis, produção de medicamentos e insumos entre outras atividades essenciais não foram afetadas.

Últimas