Carros [Avaliação] 500Km com a Chevrolet S10: bruta sem perder a doçura

[Avaliação] 500Km com a Chevrolet S10: bruta sem perder a doçura

Renovação recente da pickup faz a vice-líder manter a qualidade do motor de 200cv mas atualização da multimídia cairia bem num veículo de sua classe

Veja a avaliação da S10 High Country 2020

S10 High Country 2020: visual sério e conteúdo interessante para sua classe de preço

S10 High Country 2020: visual sério e conteúdo interessante para sua classe de preço

Marcos Camargo Jr

A linha 2020 da Chevrolet S10 pouco mudou além do preço e se mantém como segunda pickup mais vendida do país. Agora R$ 3.800,00 mais cara, a versão topo de linha High Country custa R$ 191,9 mil e mantém as qualidades e pontos que poderiam ser melhorados. Para conhecê-los, o R7 avaliou a S10 High Country por 500km em ruas, estradas e circuitos off-road. Bruta como um bom off-road ela se mostrou dócil em qualquer pavimento mostrando evolução dos utilitários médios.

Força bruta

Vamos começar pelo ponto alto da versão mais cara da pickup, o motor 2.8 turbodiesel Duramax com intercooler e injeção direta Common Rail que desenvolve 200cv e 51kgfm de torque com câmbio de seis marchas com opção de troca manual apenas na alavanca. A tração 4X4 com reduzida tem seletor no console em formato giratório e sem alterações. 

Caçamba com pouco mais de 1.000 litros, adequada à proposta da categoria

Caçamba com pouco mais de 1.000 litros, adequada à proposta da categoria

Marcos Camargo Jr

Andar com a S10 é ter garantia de conforto na cidade já que ela está mais silenciosa e mais forte em baixas rotações. Na estrada, o motor surpreende pelo trabalho do câmbio ágil nas reduções quando acionado mas ainda mais forte após 3.000rpm. Ao chegarmos na terra, o mesmo conforto é mantido se a tração integral for acionada o que pode ser feito em movimento. 

Segurança e baixo consumo

O freio ABS faz seu trabalho assim como o controle de tração e estabilidade que mantém a S10 presa às curvas. A vibração do carro é compensada pelos sistema de pêndulos metálicos ligados ao conversor de torque. Parece complicado mas a S10 tem, na prática, uma rodagem com mais conforto. Em termos de assistência à condução há alerta de saída de faixa, alerta de frenagem de emergência e em caso de acidente, há seis airbags e cintos pré-tensionados.

Interior da S10 sem alterações na linha 2020: volante e multimídia já merecem mudanças

Interior da S10 sem alterações na linha 2020: volante e multimídia já merecem mudanças

Chevrolet Divulgação

Após 500km rodados, chegamos a um consumo médio de 10,5Km por litro na cidade e 16,7km na estrada, número expressivo para seu porte (5,40m de comprimento, 1,87m de largura, 1,87m de altura e 3,09 de entre-eixos) e seu peso (2.100kg)

Comodidade requer atualização

Marcos Camargo Jr

O visual da utlitária traz a seriedade com requinte das pickups da marca. Há cromados nas maçanetas, nos retrovisores e na ampla grade. Os emblemas da versão são grandes, relembrando a origem da S10, que nos Estados Unidos é a Colorado. Por dentro, o perfil de acabamento é o mesmo, couro e plástico com sobriedade e traços retilíneos.

Os bancos são em couro mas só o do motorista tem ajuste elétrico. O espaço interno é muito amplo mesmo para quem viaja atrás mas falta a saída traseira do ar condicionado. A caçamba tem 1.061 litros e apesar da tampa pesada, é ampla para levar o que for possível.

Multimídia com sistema MyLink poderia ter a nova geração já presente no Cruze e Onix

Multimídia com sistema MyLink poderia ter a nova geração já presente no Cruze e Onix

Chevrolet Divulgação

Em termos de conectividade apesar do computador de bordo no cluster, a multimídia com sistema MyLink e OnStar merece a mesma atualização já oferecida no Cruze e na nova geração do Onix, quem sabe até com internet 4G com wi-fi a bordo. O sistema atual tem comandos um pouco confusos e coloridos demais, além da baixa resolução que se reflete inclusive na câmera. Nos Estados Unidos a Colorado já tem tela maior e câmera HD.

Concorrentes

A Chevrolet S10 entrega ótimo desempenho com seu motor turbodiesel agora mais silencioso e de baixo consumo. São 200cv, equiparável à Ford Ranger já que a Nissan Frontier (2,3 litros biturbo de 190cv), Mitsubishi L200 (2,4 turbo de 190cv) e a líder Toyota Hilux (2,8 litros turbo de 177cv) são um pouco mais "mansas". 

Segunda colocada no ranking das pickups médias, fica atrás da líder Hilux e à frente da Ranger

Segunda colocada no ranking das pickups médias, fica atrás da líder Hilux e à frente da Ranger

Chevrolet Divulgação

Ainda assim ela fica abaixo da Amarok V6 3,0 litros TDI de 225cv (versões V6 Highline e Extreme enquanto as demais usam o 2,0 biturbo de 180cv). Na faixa de R$ 190 mil é a pickup mais potente do mercado enquanto o motor V6 da Volkswagen faz a Amarok subir para R$ 195,9 (V6 Highline) ou R$ 205,9 mil (V6 Extreme). Além disso, o segmento deve ficar ainda mais concorrido com a RAM 1500 que terá a opção do V6 turbodiesel de 264cv mas cuja data de estreia não está confirmada. No próximo mês a estreia confirmada é da RAM 2500 com motor Cummins 6,7 litros de 400cv.

A rodagem confortável faz da Chevrolet uma ótima competidora mas lhe cairiam bem as atualizações da multimídia e itens de conforto como a saída do ar condicionado para os ocupantes que viajam no banco traseiro.