Carros Vendas de veículos ficam estáveis mas Anfavea reduz projeção para 2019

Vendas de veículos ficam estáveis mas Anfavea reduz projeção para 2019

Produção e vendas já superaram os dois milhões de veículos mas crise na Argentina afeta duramente indústria nacional

Anfavea: dados de mercado e projeções para o final de 2019

Marcos Camargo Jr

Dados da Anfavea, associação nacional dos fabricantes de veículos, mostram que as vendas de veículos novos em todo o país cresceram 10,1% em setembro quando comparada com o mesmo período de 2018. Foram 234,8 mil unidades vendidas no mercado interno no último mês. Nos nove primeiros meses deste ano 2,03 milhões de veículos foram vendidos e 337,5 mil foram exportados.

Produção de veículos reduz ritmo de crescimento mas Anfavea não vê motivo de preocupação

Produção de veículos reduz ritmo de crescimento mas Anfavea não vê motivo de preocupação

Guilherme Magna

No entanto, a entidade reduziu sensivelmente a projeção de crescimento. A expectiva era de fechar o ano com 2,86 milhões de unidades produzidas mas agora a Anfavea espera chegar a 2,8 milhões o que ainda significa um avanço de 9% em relação ao ano passado. A Anfavea, responsável pela divulgação dos dados do setor, não vê com preocupação o momento. “Setembro teve ajuste de produção com o lançamento de modelos novos, o que motivou a queda pontual mas a crise na Argentina reduziu nossa expectativa de crescimento”, explicou Luiz Carlos Moraes , presidente da entidade.

Corolla, um dos grandes lançamentos do ano que podem superar a projeção de crescimento

Corolla, um dos grandes lançamentos do ano que podem superar a projeção de crescimento

Guilherme Magna

Na reunião realizada mensalmente em São Paulo, Moraes também mencionou lançamentos recentes como a nova geração do Corolla e outros carros de grande volume como o Chevrolet Onix e Hyundai HB20. O executivo se mostrou otimista com a possibilidade das vendas superarem a projeção dos fabricantes.

Mercado externo

As exportações tem prejudicado o desempenho da industria especialmente por conta do agravamento da crise na Argentina ainda que compensada, em parte, por novos mercados como o México, Colômbia e Peru. Pouco mais de 170 mil veículos deixaram de ser vendidos na Argentina este ano, segundo a Anfavea. No total a queda da exportação chegou a 35,6% este ano. Luiz Carlos Moraes destacou que enquanto a Argentina tem vivido uma piora econômica outros países como a Colômbia tem comprado mais veículos do Brasil.

Exportações foram duramente afetadas pela crise da Argentina que derrubou mercado em 35%

Exportações foram duramente afetadas pela crise da Argentina que derrubou mercado em 35%

Guilherme Magna

O executivo também destacou que a redução da taxa Selic, a injeção de R$ 40 bilhões do
FGTS e a maior disposição dos bancos de financiarem automóveis terão maiores reflexos em 2020.