Notícias Casa Branca se diz preocupada com variante delta, mas reforça eficácia de vacinas

Casa Branca se diz preocupada com variante delta, mas reforça eficácia de vacinas

Agência Estado

Especialistas em saúde do governo americano expressaram preocupação com a rápida disseminação da variante delta do coronavírus nos Estados Unidos, mas reforçaram que os estudos conduzidos até o momento sugerem que vacinas são eficazes contra a mutação, incluindo os imunizantes aprovados no país (Johnson & Johnson, Moderna e Pfizer).

A diretora do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), Rochelle Walensky, comentou que a média móvel de casos subiu a 13 mil por dia esta semana. Segundo ela, a tendência "preocupante" reflete o avanço da delta, que já responde por mais de 50% dos diagnósticos e ocorre sobretudo em áreas com baixa cobertura vacinal.

O coordenador da resposta da Casa Branca à covid-19, Jeff Zients, destacou que "praticamente todas as internações e mortes" pela doença estão ocorrendo entre pessoas que não foram imunizadas. Ele citou uma pesquisa que estimou que o ritmo de vacinação salvou pelo menos 100 mil vidas e acrescentou que o país está próximo de alcançar 160 milhões de indivíduos completamente vacinados.

Para Zients, pode ocorrer um aumento no número de registros do vírus, mas sem alta de internações e óbitos, por causa da vacinação avançada. "Estamos mais perto de acabar com a pandemia e retornar à normalidade", salientou.

Também presente na coletiva, o epidemiologista Anthony Fauci, assessor médico chefe do presidente americano, evitou manifestar opinião sobre a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio e disse que cabem às autoridades japonesas tomarem decisões sobre restrições. Na visão dele, contudo, não há razão para cancelar a ida da primeira-dama americana, Jill Biden, ao evento no momento.

Últimas