Chuva provoca prejuízo milionário em bairro da zona oeste de São Paulo

Uma Lamborghini submersa na garagem de um condomínio, outros 40 carros "afogados" em uma concessionária de veículos importados, apartamentos que valem mais de R$ 850 mil reais sem energia elétrica ou água, estúdios fotográficos e produtoras de cinema completamente alagadas. Esse era o cenário em parte da Vila Leopoldina, na zona oeste, um bairro que vive ao menos uma década de valorização e de crescimento imobiliário (a média do metro quadrado na região é de R$ 8.700), mas não escapou da fúria das chuvas que atingiram São Paulo a partir da madrugada de segunda-feira, 10.

Às 5 horas, o telefone tocou no apartamento da advogada Erika Teixeira, de 31 anos, em um condomínio de classe média alta na Avenida Dr. Gastão Vidigal. Era o porteiro avisando que a água estava subindo muito depressa e os carros na garagem estavam em risco. "Eu e meu marido estávamos quase comprando esse apartamento. Depois do que aconteceu ontem, vamos repensar isso", contou Erika.

Perto dali, na Avenida Mofarrej, outro condomínio de luxo teria a garagem invadida pela água. Em um vídeo que correu a internet e emissoras de TV, via-se uma Lamborghini sendo completamente tomada pelas águas. O prejuízo estimado é de R$ 1,7 milhão. O proprietário não foi encontrado ontem, mas outros moradores comentaram que ele estava em prantos e o carro não tinha seguro.

Longe da realidade dos carros importados, duas favelas da Vila Leopoldina foram gravemente atingidas pela enchente. Nas comunidades da Linha e do Nove, a manhã de ontem foi de tentar recuperar aquilo que foi perdido: colchões, móveis e mantimentos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.