Trinta conselheiros tutelares são eleitos em Aracaju

Trinta conselheiros tutelares são eleitos em Aracaju

Trinta conselheiros tutelares são eleitos em Aracaju

Trinta conselheiros tutelares são eleitos em Aracaju

A8SE

Neste domingo, 6 de outubro, quase 26 mil aracajuanos elegeram os 30 conselheiros tutelares e seus suplentes que atuarão no município de Aracaju a partir de janeiro de 2020. Ser conselheiro tutelar significa ser responsável por uma série de tarefas. Entre elas, o acompanhamento de crianças e adolescentes nas hipóteses de descumprimento de proteções previstas em seu estatuto, aplicando algumas medidas e, ainda, atender e aconselhar pais ou responsáveis, promovendo a conscientização dos cuidados necessários na garantia de direitos desse público.
Conheça os 30 conselheiros tutelares eleitos:

I DISTRITO:

1º Iolanda Coelho – 745 votos
2º Jane – 502 votos
3º Alex Canela – 406 votos
4º Kadja – 378 votos
5º Letícia Feitosa Araújo Santos – 276 votos

II DISTRITO:
1º Cícera – 416 votos
2º Jucélia – 391 votos
3º Paula Matos – 380 votos
4º Claudinho – 336 votos
5º Vânia – 294 votos

III DISTRITO:

1º Flor Jurubeba – 342 votos
2º Dedé – 304 votos
3º Pereira – 304 votos
4º Marquinhos – 238 votos
5º Álvaro da Saúde – 230 votos

IV DISTRITO:

1º Kátia da Fateca – 470 votos
2º Adilson Dias – 452 votos
3º Diego dos Santos – 446 votos
4º Uedson Barbosa da Silva – 443 votos
5º José Carlos dos Santos – 362 votos

V DISTRITO:

1º Ary do São Carlos – 827 votos
2º Alex Yolle – 535 votos
3º Alisson Santos Silva – 491 votos
4º Silvania Mãozinha – 489 votos
5º Meire – 479 votos

VI DISTRITO:

1º Raposa – 307 votos
2º Tiele - 302 votos
3º Aline – 276 votos
4º Antony – 263 votos
5º Josineide Antônia Silva Santos – 196 votos

Realizado pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), em parceria com a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Assistência Social, e com o apoio do Ministério Público de Sergipe e do Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE), o pleito contou com 28 locais de votação por toda a cidade. Mais de 400 servidores e profissionais de entidades não-governamentais trabalharam no processo de escolha da capital sergipana.